Ministro da Defesa considera que 3º Simpósio Africa Endeavor 2018 (AE-18) trouxe ganhos para as Forças Armadas do País

Cidade da Praia, 03 Ago (Inforpress) – O ministro da Defesa, Luís Filipe Tavares afirmou hoje que foi uma honra para Cabo Verde receber o 13º Simpósio – Africa Endeavor 2018 sobre segurança cibernética, realçando que o mesmo trouxe ganhos para as Forças Armadas do Pais.

O governante fez esta constatação hoje, na cerimónia de encerramento do evento que decorreu ilha do Sal, de 30 de Julho a 03 de Agosto, contando com a participação de militares de mais de 40 países africanos e dos Estados Unidos da América.

Em declarações à Rádio de Cabo Verde (RCV), o ministro salientou que o país pretende reforçar a cooperação e parceria com os Estados Unidos da América (EUA) e que o simpósio foi uma prova de confiança.

“Posso dizer que saímos daqui reforçado porque partilhamos informações, experiências interessantes com os demais países africanos, europeus e com o Comando dos Estados Unidos para África (US AFRICOM) sedeado na Alemanha”, sublinhou o governante, considerando ainda que o evento em apreço trouxe ganhos para as Forças Armadas do País.

Luís Filipe Tavares adiantou, por outro lado, que Cabo Verde vai assinar no próximo ano, um novo acordo de defesa com os EUA, parceria essa que, ao seu ver, “é um sinal importante” que o arquipélago deve aproveitar, “num momento que considera de viragem em matéria de segurança e defesa”.

Para o governante, Cabo Verde deu o seu contributo para que haja mais segurança nessa sub-região do atlântico, e considerando os enormes desafios existentes no Golfo da Guiné, o arquipélago quer estreitar a parceria com os Estados Unidos da América para garantir mais segurança nessa região e no país.

Por outro lado, avançou que a partir de agora, o arquipélago e os países africanos vão poder partilhar informações militares e fazer exercícios em conjunto no quadro da Zona G da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) da segurança marítima.

“Nós queremos sobretudo, ser úteis para termos mais segurança, mais paz nesta região do atlântico, e esta parceria com os EUA é fundamental, e a nossa opção em estabelecer e reforçar as relações no sector da segurança e defesa com o EUA é algo de estratégico para a segurança de Cabo Verde”, defendeu.

Coorganizado pelo Ministério da Defesa de Cabo Verde e o Comando dos Estados Unidos para África (US AFRICOM), o simpósio tem por finalidade aumentar as capacidades de comando, controlo e comunicação das nações africanas, encorajando com tácticas, treino e procedimentos interoperáveis, criando documentos normativos que suportam a interoperabilidade, permitindo que esses países possam oferecer apoio, nessa matéria, às forças da União Africana e da Força de Alerta Africana, envolvidas em missões de assistência humanitária, desastres e manutenção da paz.

O evento contou com a participação de 160 militares e profissionais das comunicações militares, de 40 países africanos, comunidades económicas regionais, organizações internacionais, Nações Unidas, União Africana, União Europeia, Organização do Tratado do Atlântico Norte, agências do Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América e agências intergovernamentais de nações africanas e europeias.

África do Sul recebeu a conferência em 2006, seguido do Gana, 2007, Nigéria 2008, Gabão 2009, Gana 2010, Gâmbia 2011, Camarões 2012, República da Zâmbia 2013, Alemanha 2014, Gaborone, Botsuana 2015, Madagáscar 2016 e Malawi 2017.

AV/FP

Inforpress/Fim