Ministro da Cultura regozija-se com assinatura do protocolo de concessão de exploração de patrimónios na Cidade Velha (c/áudio)

Cidade da Praia, 10 (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, mostrou-se hoje satisfeito com a assinatura do protocolo de uma adenda ao contrato de concessão de gestão de patrimónios na Cidade Velha.

Durante o acto de assinatura do documento entre a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, o Instituto do Património Cultural e o Projecto Imobiliário e Desenvolvimento Turístico (Proimtur), na Cidade da Praia, Abraão Vicente disse que este acordo ira beneficiar o desenvolvimento turístico da Cidade Velha.

“O nosso desejo e as metas que queremos alcançar são muito pragmáticas, maior preservação, maior estudo e conhecimento científico do nosso património, maior desenvolvimento dos pacotes turísticos em volta aos vários roteiros possíveis na Cidade Velha, a valorização e o envolvimento da população local”, expressou.

Por outro lado, o governante realçou que esta adenda repõe, de certa forma, a “responsabilidade e a responsabilização” sobre a gestão do sítio histórico da Cidade Velha, reconhecendo o trabalho que a Proimtur tem feito, como também “reconhecendo uma maior necessidade” de envolvimento da câmara municipal e, “dando claramente a responsabilidade da fiscalização técnica ao IPC”.

A adenda ao contrato foi assinada ao abrigo do regime de concessão para exploração do circuito integrado da Cidade Velha, Património Mundial, celebrado em 2006.

O presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, Manuel de Pina, salientou que a assinatura deste protocolo é o “somar de esforços”, que após longo período de negociação chega ao fim, perspectivando “grandes ganhos” para o seu município.

Já o presidente do Instituto do Património Cultural, Jair Fernandes, explicou que o objectivo é trazer mais turistas, mais investigadores e que o trabalho da entidade de que é responsável, passa também, além de fiscalizar, “ajudar lá onde for preciso”.

Na mesma linha, o representante da Proimtur, Júlio Martins, destacou que a empresa vai implementar um conjunto de medidas que possam trazer benefícios a nível do crescimento turístico na Cidade Velha e a valorização do seu património.

Com este contrato, passam a ser objecto de gestão e exploração turística da Proimtur, a Fortaleza Real de São Filipe, compreendendo o monumento histórico, o centro interpretativo e a loja, a Zona de Pelourinho e o Convento de São Francisco.

HR/CP

Inforpress/Fim