Ministério da Cultura está a fazer um “trabalho de fundo” para recuperação da tabanca em todos os municípios – Abraão Vicente

Cidade da Praia, 13 Jun (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas disse hoje, na Cidade da Praia, que o seu ministério está a fazer um “trabalho de fundo” para a recuperação da tabanca em todos os municípios onde é celebrado.

Abraão Vicente fez essa afirmação em declarações à Inforpress, depois da cerimónia do “Roubo de Santo da Capela”, um ritual das festividades de Santo António que se assinala hoje, 13 de Junho, que é padroeira de Tabanca de Achada Santo António.

“O Ministério da Cultura é uma das razões e um dos motivos por que a tabanca está a recuperar em todos os municípios e este ano financiamos a todos os grupos em Cabo Verde em 200 mil escudos”, justificou.

Abraão Vicente adiantou que o seu ministério já se “comprometeu”, junto dos grupos, fazer um projecto de recuperação de toda indumentária, assim como de todas as capelas de tabanca.

“Recuperar a tabanca é readquirir a nossa memória imaterial e a história viva do processo de construção da nossa identidade nacional”, notou o governante, enaltecendo a importância dessa manifestação cultural “por ser essencialmente popular e vivida pelo povo nos bairros”.

“Por isso, faço questão de todos os anos estar aqui e durante este mês estarei nas outras tabancas como da Várzea, Achada Grande Frente, no interior de Santiago em Tomba Torro e Chã de Tanque”, salientou.

Para o ministro Abraão Vicente, a tabanca é o início da construção da identidade cabo-verdiana, sendo que suas manifestações retratam a sociedade como uma estrutura escravocrata, onde os negros e os mestiços tinham nessa exteriorização um momento de expressão máxima da sua liberdade e da construção da sua identidade.

Questionado sobre o processo da elevação da tabanca a património da humanidade, Abraão Vicente adiantou que houve uma “candidatura falhada em 2005 “devido à má condução do processo”.

Por isso, considerou que o processo de inscrição da tabanca é um dossiê que tecnicamente depende de um “sinal” do Instituto do Património Cultural (IPC), pelos custos que importa, assim como pela sua complexidade.

No dia 13 de Junho, “Dia de Santo António”, padroeiro da Tabanca de Achada Santo António, por volta das 08:00, os ladrões roubam o santo na capela da corte. O mesmo é vendido em casa da “rainha de gasadjo” (casa onde o santo é guardado) por cerca de 15 mil escudos.

O santo, na verdade é um símbolo, ou seja, uma pequena bandeira branca com uma cruz vermelha no centro, e uma vara de marmeleiro com uma fita vermelha atada numa das pontas.

A capela da corte está constantemente protegida pelos guardas armados com espingardas de pau, mas os ladrões e seus acompanhantes ultrapassam os guardas e efectuam o roubo. Depois, levam o santo para a venda na “rainha de gasadjo”, se for mulher, ou ”rei de bandeira”, se for homem.

Depois do roubo do santo a bandeira é colocada a meia haste, na capela da corte, símbolo de luto da tabanca

OM/CP

Inforpress/Fim