“Maioria dos municípios já tem Plano de Emergência de Protecção Civil para próximo período de chuvas” – Renaldo Rodrigues

Cidade da Praia, 21 Jul (Inforpress) – A maioria dos municípios de Cabo Verde já tem Plano de Emergência de Protecção Civil para o próximo período de chuvas, disse à Inforpress o presidente do Serviço Nacional da Protecção Civil e dos Bombeiros (SNPCB), Renaldo Rodrigues.

Renaldo Rodrigues recorda que, todos os anos, o serviço Nacional da Protecção Civil realiza encontros com vista a conhecer os planos que as várias instituições ligadas à protecção cível fazem para a preparação da época das chuvas e saber como é que estão organizadas para questões de respostas.

E este ano não foi excepção, embora com algumas actualizações nos procedimentos, conforme disse o presidente do SNPCB.

“As reuniões eram feitas apenas com os municípios da ilha de Santiago e nem todos participavam. Então significa que o alcance que nós estávamos a pretender ter com essas reuniões não estava a ser concretizado”, referiu.

Por isso, Renaldo Rodrigues afirmou que este ano se está a fazer um trabalho diferente. “Decidimos que, tendo em conta que o objectivo é actualizar os planos de emergência dos municípios, fazer encontros a nível local”, acrescentou a mesma fonte.

“Houve já em Santiago Norte uma reunião onde participaram várias instituições, uma reunião bastante proveitosa onde foi possível falar dos planos, das medidas que vão ser tomadas na resposta, na prevenção e também na mitigação”, afirmou.

Quanto aos planos, Renaldo Rodrigues, avançou que a maioria dos municípios já tem um plano de emergência.

“Neste momento não é um plano que podemos dizer óptimo, porque a nossa visão de um plano terá que ser mais operacional possível e menos teórico. Muitas vezes quando fazemos um plano muito denso, acabámos por perder nas informações que são úteis”, ajuntou.

Rodrigues declarou ainda que o SNPCB está a elaborar um plano de directivas para a elaboração dos planos de emergência que depois será aprovado pelo Ministério da Administração Interna.

“Será uma versão de um plano mais pragmático e menos teórico”, disse, acrescentando que o mesmo deverá ser eficaz ao ponto de fazer com que todos os agentes envolvidos saibam o que devem fazer em determinado momento, tanto na questão da prevenção como no que toca à respostas pós-incidentes.

Quanto às previsões pluviométricas, Renaldo Rodrigues afirmou que este ano, até agora, ainda “não há uma previsão oficial” sobre a chuva, embora “alguma previsão”, a nível da costa ocidental africana, que aponta para determinada direcção.

“Estamos à espera de informações mais fidedignas para podermos avançar. Este ano está-se a ter mais cuidados na divulgação desses dados, estamos a lidar com as expectativas das pessoas”, disse.

GSF/AA

Inforpress/Fim