Inicio Ambiente Maio: Ministro de Energia e Indústria admite possibilidade de a ilha vir...

Maio: Ministro de Energia e Indústria admite possibilidade de a ilha vir a ser contemplada com reforço de energia renovável

Porto Inglês, 07 Jun (Inforpress) – O ministro da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, disse hoje, no final de dois dias de visita à ilha, que num futuro próximo o Maio pode vir a ser contemplado com o reforço da produção de energia, aproveitando a energia fotovoltaico.

“Do ponto de vista energético, o governo quer também trazer rapidamente energias renováveis, por forma a aumentar a capacidade de produção. Neste momento, a proposta que está sendo negociada com o governo é para a introdução de energia solar”, anunciou.

Em declarações à Inforpress, o ministro assegurou que a perspectiva futura é incrementar mais a capacidade de produção de energia, optando pela energias renováveis, aproveitando das potencialidades da ilha neste aspecto, com vista a melhorar e aumentar a capacidade de produção, bem como a rede de distribuição.

O governante considerou que nos últimos tempos foram feitos “muitos investimentos” na ilha na parte da rede eléctrica, que culminou com o fecho do anel eléctrico, embora ainda exista, admitiu, um pequeno problema na linha de distribuição no troço entre as localidades de Morrinho a Pedro Vaz, que carece de ser melhorado para dar maior segurança e qualidade de distribuição.

Todavia, Alexandre Monteiro chamou atenção que é preciso melhorar a qualidade de prestação de serviço, diminuindo o tempo de interrupção de fornecimento de energia, tendo em vista que neste momento, segundo a mesma fonte, a capacidade de produção de energia é superior em mais de quatro vez do que é a necessidade do mercado maiense

“Neste momento, é a questão da operacionalização que se está a ser trabalhada. Existe um ou dois grupo de geradores que precisam ser melhorados, mas os três grupos que estão a funcionar garantem quase três vezes mais a capacidade de abastecimento necessário neste momento”, frisou.

No que se refere ao sector da indústria produzida na ilha, aquele responsável defendeu que é preciso um trabalho de reforço e assistência técnica, por forma a que estas unidades possam ter uma dimensão mais empresarial , para puderem acrescentar “mais valor” às suas matérias-primas.

A ideia, explicou o ministro, é aproveitar tanto o mercado local como nacional, sublinhando que para tal o governo está a trabalhar na melhoria do transporte inter-ilhas.

“Registamos com satisfação a revitalização da queijaria de Ribeira Don João e vai merecer a nossa especial atenção. O problema de momento é o mercado, mas vamos trabalhar para ajudar na assistência técnica”, prometeu.

“No computo geral, podemos dizer que estamos satisfeitos por vermos mais as unidades industriais a funcionarem, com mais produção. Em termos de infra-estruturas, como disse, atendem a demanda e em termos de constrangimentos existentes vamos melhorar dentro do programa que temos para todas as ilhas”, conclui.

WN/JMV

Inforpress/Fim