Maio: Edil congratula-se com o anúncio das obras do porto, mas pede a máxima “brevidade” na sua concretização efectiva  

Porto Inglês, 27 Fev (Inforpress) – O edil da ilha do Maio manifestou hoje a sua satisfação pelo anúncio avançado pelo PCA da Enapor, segundo o qual as obras de requalificação do porto do Maio vão ser a prioridade da instituição pare este ano.

Miguel Rosa congratula-se com o anúncio da Enapor, mas pede a “máxima brevidade” na concretização efectiva das obras em apreço.

O anúncio das obras de requalificação do porto da ilha do Maio terá sido avançado pelo presidente do Conselho de Administração da Empresa Enapor durante o encontro nacional dos delegados desta instituição portuária.

Questionado a se pronunciar sobre o alcance da iniciativa da Enapor, o autarca Miguel Rosa disse que “nesta dinâmica de desenvolvimento que a ilha tem ganho, é preciso acelerar com algo de estruturante”, razão por que a requalificação do porto tem de acontecer com a máxima brevidade possível.

Entretanto, realçou que está a acompanhar com toda a atenção este processo, tendo sublinhado que embora não seja uma responsabilidade da edilidade, estão a fazer a pressão junto do governo central no sentido de este projecto vir a ser uma realidade o mais breve possível, por forma a que a ilha venha a ter o tão almejado desenvolvimento.

“Temos dois problemas estruturantes e candentes que precisamos atacar, o problema de acessibilidade externa quer marítima como aérea e a própria infraestruturação de toda ilha”, disse o autarca admitindo, contudo, haver ainda outras questões e desafios que só serão conseguidos depois da resolução da questão da acessibilidade à ilha.

Por outro lado, Miguel Rosa lembrou que internamente se está a assistir a um fenómeno de “renascimento” da importância da cidade do Porto Inglês e da ilha do Maio no geral, na senda do conjunta das ilhas do país, graças ao trabalho da requalificação que a edilidade tem estado a levar a cabo, mas que só ficará complô ao se contornar o problema da acessibilidade, enfatizou.

WN/FP

Inforpress/Fim