Luxemburgo concede a Cabo Verde 3,2 milhões de euros suplementares ao Programa Indicativo de Cooperação já existente

 

Cidade da Praia, 19 Jun (Inforpress) – O Governo de Grão-Ducado do Luxemburgo compromete-se a conceder a Cabo Verde 3,2 milhões de euros (mais 300 mil contos), sob forma de suplemento ao Programa Indicativo de Cooperação já existente, que se destinam à reabilitação de escolas e sanitários nos vários municípios do país.

Este é o resultado do protocolo de cooperação rubricado hoje, na Cidade da Praia, pelo ministro da Cooperação e Acção Humanitária luxemburguês, Romain Schneide e o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Luís Filipe Tavares, no âmbito da 17ª Comissão Paritária entre Luxemburgo e Cabo Verde.

A conferência serviu também para se fazer o ponto da situação do 4º Programa Indicativo de Cooperação 2016-2020, dotado de um envelope de 48 milhões de euros e que incidem no emprego, a empregabilidade, a água e saneamento, as energias renováveis e na descentralização.

Esta iniciativa visa o reforço das capacidades, o apoio institucional e a diversificação das relações, porquanto Luxemburgo pretende ajudar Cabo Verde na erradicação da pobreza num quadro de desenvolvimento sustentável.

Em declarações à imprensa, Luís Filipe Tavares disse que a 17ª Comissão Paritária entre os dois países foi aproveitada para a análise da cooperação existente nos seus mais diversos aspectos, sublinhando que Luxemburgo financia um programa indicativo de cooperação com o arquipélago em 48 milhões de euros que vai até ao final da legislatura.

Luís Filipe Tavares faz uma avaliação “muito positiva” deste encontro, por considerar que as perspectivas são muito boas, tendo as duas partes debatido “os aspectos a serem reforçados” nos domínios como a água, saneamento, emprego e empregabilidade, razão por que, segundo disse, o Governo fez integrar ainda na sua comitiva os ministros da Economia e do Emprego, da Agricultura e do Ambiente.

Todavia, reconheceu a necessidade de se acelerar alguns projectos na área do emprego e formação profissional e indicou que foi definido a nova forma de trabalhar com a Embaixada do Luxemburgo em Cabo Verde.

Conforme explicou o governante, o ministério dos Negócios Estrangeiros, através do director-geral da política externa vai pilotar toda esta cooperação e vai-se continuar a trabalhar visando a consolidação desta cooperação para o desenvolvimento do país.

Por seu turno, o ministro da Cooperação e Acção Humanitária luxemburguês, Romain Schneide, considera que as duas partes tiveram um diálogo de concertação “muito interessante e frutífero” para os dois países, tendo afirmado que Luxemburgo continua determinado em trabalhar com Cabo Verde para aprofundar esta cooperação que vem desde 1993.

As relacções de cooperação entre Luxemburgo e o arquipélago datam de finais de 1980 e em 1993 Cabo Verde se tornou-se no país “parceiro privilegiado” da cooperação luxemburguesa, facto que foi materializado com a assinatura, a 3 de Agosto de 1993, do primeiro Acordo Geral de Cooperação, que definiu o quadro geral das actividades de cooperação nos domínios cultural, cientifico, técnico, financeiro e económico.

SR/FP

Inforpress/Fim