Lígia Fonseca defende que empoderar é dar mulheres capacidade de desenvolverem as suas ideias

 

Cidade da Praia, 17 Nov (Inforpress)- A primeira-dam, Lígia Fonseca, defendeu hoje que emponderar “não é só ter mulheres em lugares de destaque”, mas que é dar às mulheres capacidade de conhecerem os seus direitos, de poderem desenvolver as suas ideias e de saber dizer não.

Lígia Fonseca fez esta afirmação na abertura da primeira edição do Summit Liderança Feminina “Emponderar, Empreender, liderar”, promovida pelo projecto WOMENISE.IT, e que decorre durante dois dias na Cidade da Praia.

“Eu, tu, Nós … Despertar lideranças, empoderar para os novos tempos”, foi o tema da conversa que a primeira-dama teve com as diversas mulheres presentes na sala.

Segundo Lígia Fonseca, antigamente não se falava da igualdade do género nas escolas e noutros espaços, mas hoje em dia, reconheceu, há vários programas que abordam a questão de igualdade e equidade do género.

Entretanto, afirmou que não adianta haver diversos programas e estudos sobre esta matéria e continuar na mesma situação, pois, sublinhou, muitos têm ainda um conceito errado do que é emponderar.

Para a primeira-dama, emponderar não é só abrir linhas de créditos e acesso ao emprego, mas, destacou, a capacidade de cada um poder conseguir desenvolver a sua capacidade e não ter receio de formar, concorrer a projectos e pôr em prática a sua ideia.

“Emponderar não é por todas as mulheres à frente das empresas ou das câmaras municipais ou ocuparem todos os cargos da Assembleia Nacional. O emponderar é tornar cada mulher capaz de ter a consciência dos seus direitos e saber que tenho tantos direitos como qualquer homem”, disse, acrescentando de que emponderar “é ajudar a mulher a ter capacidade de escolher e saber dizer não”.

A capacidade e a coragem de dizer não, afirmou, tem sido uma dificuldade de muitas mulheres, por isso encoraja-as a “dizer não, com firmeza”, para que possam ser respeitadas, armentou.

O I Summit Liderança Feminina conta com a participação de oradoras vindas de Portugal, Espanha, Holanda para além de Cabo Verde.

“Género, liderança e empoderamento”; “Mulheres, negócios e autonomia”, “Politica, cultura, midia e espaços de representação feminina”, “Lugar da mulher é na Politica”, “Midia, empreededorismo e self marketing”, são alguns temas de liderança que vão estar em debate durante os dois dias.

AM/JMV

Inforpress/Fim