Lígia Fonseca afirma que o direito de liberdade resulta da assunção da dignidade humana

Cidade da Praia, 12 Jan (Inforpress) – A primeira-dama, Lígia Fonseca, afirmou hoje, na Cidade da Praia, que a defesa dos direitos de liberdade, de expressão, de manifestação e de educação resultam da assunção da dignidade da pessoa humana.

A constatação foi feita por Lígia Fonseca, que falava aos jornalistas depois de presidir à uma Conversa Aberta sobre os “70 Anos da Declaração dos Direitos do Homem”, aos alunos do Liceu Domingos Ramos, no âmbito da VII edição da Semana da República, promovida pela Presidência da República de 13 a 20 de Janeiro.

Segundo explicou, a ideia é mostrar aos estudantes como é que a Constituição da República de Cabo Verde consagra os direitos humanos e acima de tudo como é que são vivenciados no dia-a-dia da população, de modo a aumentar e despertar a consciência para a dignidade da pessoa humano e perceberem que a defesa dos direitos de liberdade, expressão, manifestação e educação resultam da assunção da dignidade da pessoa humana.

“Nos dias de hoje podemos ver os alunos a exercem as suas liberdades, darem opiniões, concordarem e descordarem, situações muito diferentes das escolas a 30 ou 50 anos atrás”, considerou, sublinhando que hoje em dia existe mais liberdade, mas há também muitos desafios a vencer, uma vez que os direitos humanos estão sempre em evolução.

Segundo Lígia Fonseca, conforme os objectivos forem atingidos, vai se passar para novas etapas e conseguir uma realização plena dos direitos de acordo com o momento em que se vive, ou seja, exemplificou, há anos atrás o acesso a um telemóvel não era importante, mas nos dias de hoje é fundamental sobretudo para as localidades mais afastadas.

No seu entender, conforme a ciência e o conhecimento avança, a forma de efectivar e de exercer os direitos humanos também se vai aprimorando e ganhando novas dimensões.

“Quando se fala em direitos humanos temos que falar em democracia, liberdade, participação política, e é importante ensinarmos que a democracia está em todos os espaços em que estamos inseridos, e o exercício da democracia significa respeitar os nossos direitos e dos outros, ter as nossas opiniões, mas também saber ouvir e aprimorar esses conceitos que faz com que esses jovens comecem a tomar consciência de como devem praticar a democracia”, precisou.

Para finalizar, disse que esta liberdade exige da juventude uma maior responsabilização.

Este ano, a VII edição da Semana da República vai debater temas relacionados com o Poder Local/Regional e Heróis Nacionais.

Tendo em conta o tema principal, o evento conta com a participação de autarcas de todo o país, assim como especialistas e investigadores em matéria de Poder Local/Poder Regional, congregando as diferentes visões existentes sobre esta questão.

AV/ZS

Inforpress/Fim