lha do Fogo: Mais de vinte mil plantas florestais, endémicas e forrageiras vão ser afixadas com a queda de chuvas de Setembro

São Filipe, 06 Set (Inforpress) – O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) prevê a fixação na campanha de reflorestação deste ano de mais de 20 mil plantas de espécies florestais, endémicas e forrageiras em vários pontos da ilha.

O delegado do MAA na ilha, Jaime Ledo de Pina, disse à Inforpress que já caíram chuvas em quantidade suficiente para o arranque da campanha de plantação.

O responsável adiantou que o Ministério, através de vários projectos, vai disponibilizar um total de 20.645 pés de plantas, que vão ser afixadas sobretudo pelas associações de desenvolvimento comunitário.

Segundo o mesmo, no quadro do projecto “Reforço da capacidade de adaptação e resiliência no sector florestal em Cabo Verde” (REFLOR-CV) foram produzidas cerca de 11 mil plantas florestais de espécies como Cupressus sp, Pinus Canariensis e Grevilea robusta, e endémicas como língua de vaca, lorna, e tortolho, que serão afixadas pelas associações comunitárias, no perímetro florestal de Monte Velha.

Jaime Ledo de Pina disse que, no âmbito deste projecto, foi assinado protocolos de trabalho com quatro associações de desenvolvimento comunitário do município dos Mosteiros (Mosteiros Trás, Pai António, Feijoal e Cutelo Alto) e com uma associação do município de Santa Catarina do Fogo (Montinho), no valor global de mais de 22 mil contos para execução dos trabalhos.

Os protocolos têm a duração de 18 meses e englobam trabalhos de limpeza do perímetro florestal de Monte Velha (remoção de infestantes, vegetação invasora lenhosa e as árvores sem-futuro), produção e fixação de plantas, obras de conservação de solos e água, construção e melhoria de caminhos carroçáveis existentes.

Já no quadro do projecto “POSER Climat”, segundo o delegado do MAA, vão ser fixadas cerca de 10 mil plantas (9.645) florestais e forrageiras, sendo que pouco mais de oito mil foram produzidas pela Associação de Desenvolvimento Comunitário de Cabeça Fundão e perto de 1.5000 pela Associação de Achada Mentirosa (zona norte de São Filipe) e que serão afixadas na zona de Bordeira e na zona norte da ilha.

No que se refere a plantas fruteiras, este ano, segundo dados disponibilizados pela delegação do MAA na ilha do Fogo, foram produzidas, nos viveiros de Monte Genebra (São Filipe) e dos Mosteiros, um total de 15 mil plantas, um número muito inferior do que a delegação tem por hábito produzir anualmente, isso, como explica Jaime Ledo de Pina, em virtude do mau ano agrícola registado em 2017, o que dificultou na aquisição de sementes e de material vegetal para produção de plantas.

Das 15 mil plantas fruteiras, 1.500 destinam-se ao projecto “FrutiFogo” da Câmara Municipal de São Filipe e a parte restante destina-se aos agricultores e proprietários de terreno.

Para as zonas altas dos Mosteiros, a Inforpress soube que a empresa Fogo Coffee Spirit tem disponível no seu viveiro, nos Mosteiros, cinco mil plantas de cafeeiros para serem afixadas, e com a queda das chuvas a empresa vai disponibilizar as plantas aos proprietários de terreno com potencial para produção de café.

JR/JMV

Inforpress/Fim