Inicio Politica Júlio Andrade garante que situação financeira do Hospital Agostinho Neto “é boa”

Júlio Andrade garante que situação financeira do Hospital Agostinho Neto “é boa”

Cidade da Praia, 11 Set (Inforpress) – O presidente do Conselho de Administração do Hospital Agostinho Neto (HAN), Júlio Andrade garantiu hoje que a situação financeira da instituição “é boa”, uma vez que conseguiram pagar todas as dívidas referentes a 2007 / 2017.

“Neste momento a situação financeira é boa, conseguimos pagar todas as dívidas referentes a 2007 / 2017 e todas as despesas de 2018”, avançou o PCA que revelou que há dois anos o hospital tinha uma dívida de 402 mil contos e despesas por pagar.

Júlio Andrade falava aos jornalistas à margem de uma visita guiada, esta terça-feira, a alguns serviços do hospital, na sequência de uma denúncia do jornal a Nação dando conta que o Centro de Diálise está sem condições físicas e com falta de medicamentos, na qual participaram um representante da Ordem dos Médicos, Autoridade Reguladora para a Comunicação Social e da Associação para Defesa do Consumidor (ADECO).

Apesar do Hospital Agostinho Neto não dispor de um orçamento para investimento, o seu PCA  assegurou que neste momento a estrutura está em condições de fazer intervenções a nível das estruturas físicas graças às medidas implementadas pela sua equipa, elencando como serviços a padecerem desta intervenção, o Banco de Urgência, o Serviço de Imasologia e o Laboratório.

“Com os meios próprios vamos fazer intervenção nos serviços de oncologia, serviço de atendimento e gestão de utentes de modo a criar mais conforto e qualidade em termos de atendimento”, assegurou o PCA indicando que as obras da Pediatria já arrancaram.

Por outro lado, avançou que desde 2012 o Hospital Agostinho Neto já dispunha de um plano com soluções a longo prazo, mas que nunca foi executado, acrescentando que actualmente dispõe de um plano de intervenção e de modernização da estrutura avaliado em 1 milhão e 500 mil contos.

Conforme revelou, a maior preocupação é colocar o hospital a funcionar sem que haja rotura de medicamentos, consumíveis e fazer a manutenção dos equipamentos, com excepção da Tomografia Axial Computadorizada (TAC) que se encontra avariada.

“Brevemente vamos lançar um concurso para renovação de todos os equipamentos, é um pacote para todos os serviços e inclui TAC, ecografia, modernização dos dois equipamentos de radiologia equipamentos de dosímetros para protecção dos trabalhadores e um sistema para fazer armazenamento de imagens“, sublinhou Júlio Andrade, indicando que este investimento ronda os 100 mil contos e que até o início do próximo ano estará concluído.

Em relação às acusações do Partido Popular (PP), que considerou a direcção do Hospital Agostinho Neto (HAN), de ser “incompetente e arrogante”, Júlio Andrade disse que essas acusações não merecem nenhuma resposta.

O Hospital Agostinho Neto (HAN), com um orçamento anual de 530 mil contos, tem  823 trabalhadores, sendo 117 médicos, 234 enfermeiros, 250 ajudantes de serviços, 40 vigilantes e mais de 100 técnicos superiores.

Por ano, a estrutura recebe 110 mil doentes na urgência, 10 mil doentes internados, realiza 7.500 cirurgias programadas, 1500 cesarianas e urgências e cerca de 50.000 exames complementares.

AV/FP

Inforpress/Fim