Jorge Santos destaca papel de Portugal nas relações entre Cabo Verde e a União Europeia

Cidade da Praia, 10 Abr (Inforpress) – O presidente da Assembleia Nacional destacou hoje o papel de Portugal nas relações  entre Cabo Verde e a União Europeia e apontou este país  como um dos “principais parceiros” do arquipélago a nível político, económico e cultural.

Jorge Santos fez estas declarações na sessão solene para assinalar a primeira visita de Marcelo Rebelo de Sousa a Cabo Verde, na qualidade de Presidente da República de Portugal.

“Portugal é uma aposta prioritária e estratégica para Cabo Verde”, indicou Jorge Santos, para quem as relações entre os dois países são “históricas” e influenciaram  de “forma marcante” a génese do povo cabo-verdiano.

Para o chefe da casa parlamentar cabo-verdiana, as relações entre os dois estados são “fortes e exemplares” e constituem  uma “importante contribuição” para a construção da paz e do entendimento entre os povos.

Segundo Santos, a indexação do escudo cabo-verdiano ao euro foi de “capital importância” para o desenvolvimento económico de Cabo Verde e na atracção  de investimentos directos externos.

“O Acordo de Parceria Especial, adoptado em 2007 e que este ano vai comemorar os seus 10 anos, constitui igualmente um importante instrumento na aproximação e relacionamento Cabo Verde/União Europeia, com a nossa Região da África Ocidental (CEDEAO) e com o mundo”, declarou Jorge Santos, acrescentando que o desafio que o desafio que Portugal lançou na cimeira dos Chefes de Estado do Rio de Janeiro, em matéria de convergência e mobilidade dos cidadãos no seio da CPLP, constitui um “imperativo básico” para o reforço da amizade e cooperação entre Cabo Verde e Portugal.

Enalteceu, por outro lado, a “profícua parceria e amizade” que o Parlamento cabo-verdiano tem mantido com a Assembleia da República portuguesa que, segundo ele, com “ganhos palpáveis e estratégicos” no concernente à reforma e modernização da casa parlamentar cabo-verdiana.

“Políticos com a sua dimensão humana e envergadura política e social assumem-se sempre como uma afirmação permanente de confiança e de esperança para a s nações” concluiu Jorge Santos, referindo-se ao Presidente Marcelo Rebelo de Sousa.

LC/AA

Inforpress/Fim