Jerusalém: OLP pedirá a árabes para cortarem relações com quem a reconheça como capital de Israel

 

Jerusalém, 05 Jan (Inforpress) – O secretário-geral da Organização para a Libertação da Palestina, Saeb Erekat, disse hoje que a OLP pedirá a todos os países árabes para cortarem relações diplomáticas com qualquer Estado que reconheça Jerusalém como capital de Israel.

“Não há nada antes de Jerusalém nem nada depois de Jerusalém”, disse, num vídeo divulgado pela OLP.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu Jerusalém como capital de Israel no dia 06 de Dezembro e anunciou a mudança para a cidade da embaixada norte-americana, que se encontra em Telavive.

O presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmud Abbas, rejeitou então os Estados Unidos como mediador do processo de paz com Israel.

No dia 21 de Dezembro foi aprovada uma resolução não vinculativa da Assembleia-Geral da ONU contra a declaração de Trump e a embaixadora norte-americana nas Nações Unidas, Nikki Haley, condicionou a ajuda financeira aos palestinianos a um “regresso à mesa de negociações” com Israel, o que as autoridades palestinianas classificaram de “chantagem”.

Entretanto, a Guatemala anunciou a mudança da sua embaixada para Jerusalém e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, disse estar a negociar com outros países a mesma alteração.

Israel ocupou Jerusalém Oriental durante a Guerra dos Seis Dias, em 1967, e anexou a cidade em 1980, contra a posição da comunidade internacional. Os palestinianos reivindicam Jerusalém Oriental como capital de um futuro Estado da Palestina.

Lusa/fim