Isso e SINTCAP pretendem boas práticas visando um mundo laboral seguro, saudável e digno (c/áudio)

Espargos, 10 Out (Inforpress) – O Instituto de Segurança e Saúde Ocupacional, e o Sindicato dos Trabalhadores Comunicações e Administração Pública pretendem partilhar boas práticas, promover troca de experiências entre as empresas e os trabalhadores, visando um mundo laboral seguro, saudável e digno.

Deste modo, e no âmbito desta iniciativa, as duas instituições promovem esta quinta-feira, na ilha do Sal, uma conferência nacional subordinada ao tema “Trabalho Digno, vida digna” que, segundo João Carvalho, presidente do Instituto de Segurança e Saúde Ocupacional (ISSO), visa divulgar os conhecimentos técnicos e científicos de “tal forma” para que o país possa caminhar, “realmente”, no sentido de um mundo laboral mais seguro, saudável e digno.

“Um dos objectivos do trabalho digno é que o homem e a mulher sejam reconhecidos pelo esforço do seu trabalho. Aliás, a própria Constituição da República prevê isso num dos seus artigos, e o ISSO está a trabalhar também neste sentido. Acreditamos que esta conferência será um momento de aprendizagem”, sublinhou João de Carvalho, observando que a promoção do trabalho seguro, saudável e digno é da responsabilidade de todos.

A actividade tem lugar no Salão Nobre dos paços do Concelho das 09:00 às 17:00, no âmbito do Dia Internacional do Trabalho Digno, assinalado a 07 de Outubro, depois de ser instituído em 2007, durante o Fórum Social Mundial em Nairobi, Nigéria, visando reforçar a ideia de que mulheres e homens têm o direito de realizar um trabalho produtivo, em condições dignas de liberdade e segurança.

A presidente do SINTCAP, Maria de Brito ressaltou a importância desta conferência tendo em conta, conforme disse, o momento laboral “agitado” que se vive no país e na ilha, perante, também ausência de um Inspector de Trabalho, no Sal, situação que, acentuou, vem “dificultando” a manutenção de um clima laboral saudável.

“O ambiente laboral que se vive no país é um ambiente mesmo pesado. Há uma tendência em se regredir naquilo que têm sido conquistas laborais ao longo destes anos como país independente. Nesses últimos tempos têm acontecido coisas (…). Os decisores políticos, os gestores têm que ter um pouco mais de humanização para as suas gestões porque a situação está complicada”, enfatizou.

Considerando a dignificação do trabalho e do trabalhador, nos dias de hoje, um dos principais objectivos da humanidade, tendo a promoção do trabalho seguro, saudável e digno, como pilar central para a inclusão social, essa conferência propõe ser um momento de reflexão, e partilha das boas práticas ao nível internacional e nacional, permitindo assim uma progressão económica e social sustentável.

SC/FP

Inforpress/Fim