Investir na inovação através da cultura é essencial para o nosso futuro – vice-primeiro-ministro

Cidade da Praia, 14 Abr (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, defendeu hoje, na Praia, que investir na inovação, através da cultura, é essencial para o futuro de Cabo Verde, sendo que a voz deve ser uma dessas apostas.

O governante defendeu a ideia em declarações à imprensa, ao presidir o acto de abertura da “Jornada da Voz”, promovida pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através da Cesária Évora Academia de Artes, sob o lema “Nu bem kuida di nôs Voz” (Cuida da tua voz), no âmbito do Dia Mundial da Voz, assinalado a 16 de Abril, reiterando-a depois em declarações à imprensa.

“Não existe a economia sem a cultura. O futuro de Cabo Verde depende muito da criatividade, da inovação e da projecção da imagem de Cabo Verde no mundo e isso faz-se muito através da cultura e através da voz”, disse o ministro, acrescentando que “mais que investir em portos, aeroportos e estradas, investir na inovação, através da cultura, é essencial para o nosso futuro”.

Para Olavo Correia, Cabo Verde é hoje conhecido no mundo através da voz de Cesária Évora e da música.

Neste sentido, considerou que é preciso “mudar o foco”, porque com investimentos “estruturados, sistematizados e planificados”, Cabo Verde tem condições para fazer da cultura, através do empreendedorismo, um espaço de criação de emprego e de rendimentos.

A “Jornada da Voz”, a decorrer na Biblioteca Nacional de Cabo Verde de 14 a 21 de Abril, segundo a coordenadora da Cesária Évora Academia de Artes, Lígia Timas, visa despertar e alertar para os sinais e sintomas que favoreçam o diagnóstico precoce de doenças e sobre os cuidados a ter com a saúde vocal, quer para a sua preservação quer para prevenção.

“Acreditamos que temos potencial, não só a nível da voz, mas a nível do sector artístico de forma geral”, disse Lígia Timas, frisando que de acordo com as informações do Hospital Agostinho Neto (HAN) da Praia, os grupos profissionais que mais procuram consultas de fonologia é o do professor, seguido da classe jornalística.

O evento tem como público alvo os profissionais que têm a voz como seu instrumento de trabalho por excelência, tais como cantores, actores, professores, jornalistas, padres, políticos, vendedores ambulantes, entre outros.

Entre as actividades do evento, contam palestra sobre “cuidados com a voz”, oficina de voz com o tema “Orientação, condicionamento e preparação vocal, práticas de exercícios, emergências vocais”, oficina de comunicação sobre “Exploração das diferentes formas de expressar a voz, a fala, o corpo, gestos, dicas de como falar bem em público”, entre outras.

DR/JMV

Inforpress/Fim