Inclusão das pessoas com deficiência passa pelo bom atendimento, António Melo

Cidade da Praia, 21 Mai (Inforpress) – A inclusão das pessoas com deficiência passa pelo bom atendimento das mesmas nos diferentes serviços, público e privado, existentes no país, considerou hoje o presidente da Federação Cabo-verdiana de Associações de Pessoas com Deficiência (FECAD).

Segundo António Melo, que falava à imprensa no âmbito da acção de formação que iniciou esta manhã, na Cidade da Praia, esta visa promover a inclusão de pessoas com deficiência através do atendimento e objectivando melhorar a comunicação, a convivência e a integração.

“Com esta acção queremos capitar pessoas de associações que fazem parte da FECAD na área de atendimento, isso porque há muita reclamação quanto ao atendimento, pelo que queremos começar por formar a nossa gente”, afirmou.

A intenção, explicou o presidente da FECAD, é melhorar o atendimento, pois, existe muita queixa por parte das pessoas com deficiência sobre o atendimento a que têm merecido quando se deslocam a qualquer serviço seja do Estado ou privado.

Ainda António Melo, após a formação das associações que formam a FECAD, será realizado no próximo mês, no âmbito do projecto de “Acesso à Cultura em Cabo Verde e Desenvolvimento Turístico e de Representação das Pessoas com Deficiência (ACCEDERE), uma formação dirigida a pessoas do sector turístico.

Durante a formação, segundo Rosário Cunha, serão abordados temas como o “Conceito de turismo acessível”, “Como atender pessoas com deficiência nos restaurantes, hotéis, bancos”, “Como fornecer atendimento disponível”, entre outros.

Tudo isso porque, é preciso que quem esteja no atendimento tenha em mente que as pessoas com deficiência têm direito a receber e estar informado, pelo que os serviços devem tentar adaptar as suas instituições que por uma ou outra causa necessita de um atendimento diferenciado.

“Neste projecto estamos a tentar fazer com que os 5,5 por cento de pessoas com deficiência existente no país, possam ter acesso a informações sobre o turismo existente a nível nacional”, precisou.

Participam na formação, que decorre até 25 de Maio, 20 técnicos de diferentes associações de pessoas com deficiência das ilhas de Santiago, Fogo, Sal e Boa Vista.

Os formadores são técnicos especializados em acessibilidade da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO), parceira da FECAD no projecto ACCEDERE.

O projecto ACCEDERE é financiado pela União Europeia no montante de 39 mil contos.

PC/ZS

Inforpress/Fim