Ilha do Sal: Voluntariado traduz um dos traços mais nobres do ser humano – presidente AM

Espargos, 27 Out (Inforpress) – O presidente da Assembleia Municipal do Sal defendeu, sexta-feira, que o voluntariado traduz um dos traços mais nobres do ser humano, reconhecendo na Associação África Avanza, Espanha, um exemplo de solidariedade inter-povos, cujo gesto “deve ser exaltado e reconhecido”.

Carlos Santos fez essas considerações durante a sessão solene de imposição e investidura de distinções honoríficas municipais à Associação África Avanza e, a título póstumo o Dr. Koldo de Pérdigo, que fazia parte da equipa de médicos voluntários da África Avanza e co-fundador desta associação que periodicamente deslocava-se ao Sal para intervenções cirúrgicas de carácter altruísta.

Esta decisão da Assembleia Municipal de conceder a Insígnia Honorífica Municipal de Reconhecimento e de Mérito Cívico, na forma de medalha dourada, à África Avanza e ao Dr. Koldo de Pérdigo, enquadra-se, institucionalmente, no tributo público que o município do Sal pretendeu fazer a esta ONG e ao falecido médico espanhol.

O momento de distinção, que teve lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho, foi testemunhado pelos deputados municipais e vereadores, familiares, especialmente o filho e o pai do Dr. Koldo de Pérdigo, Eng.º Modesto Pérdigo, um homem já na casa dos 90 anos, vindo directamente de Espanha, convidados, a embaixadora de Espanha em Cabo Verde, e o director-geral da saúde, foi antecedido de um sarau cultural, e passagem de um vídeo sobre o percurso da África Avanza.

Para o presidente da Assembleia Municipal, Carlos Santos, proporcionar mais saúde ou mais educação, ou melhor dieta alimentar ao próximo sem olhar a meios, privar os bons momentos com a família e com amigos para ser útil àqueles que mais necessitam… são gestos de solidariedade que se deve exaltar, incentivar e reconhecer, numa sociedade cada vez mais autista em que o individualismo e a xenofobia começam a despontar a escala planetária.

“África Avanza é um exemplo dessa solidariedade inter-povos traduzida na vontade genuína de espanhóis e cabo-verdianos em colmatar as lacunas ainda existentes do sistema nacional de saúde”, afirmou, referindo que nos últimos seis anos, através do programa “Médicos Solidários para Cabo Verde” em cerca de 30 missões, foram realizadas mais de 840 cirurgias gratuitas, 1300 consultas, cerca de 20 jornadas de formação, envolvendo 130 formandos, entre actos médicos de especialidade.

“Designadamente de fisioterapia, ecografias, urologias, de entre outros. Estas acções envolveram cerca de 80 médicos, para além de voluntários dos serviços auxiliares. Muitos outros programas estão em funcionamento ou a iniciar, sempre na lógica de apoiar e ajudar os mais necessitados”, sublinhou.

Carlos Santos conclui, realçando, que o trabalho desta organização espanhola, sem fins lucrativos, “impactou” de forma “indelével” na vida de um expressivo número de pacientes cabo-verdianos e famílias, de forma indirecta.

“Trouxe mais saúde e consequentemente mais felicidade. Com efeito, o ‘output’ extraído destas acções são, efectivamente, mesuráveis, para além da dimensão humanística e solidária, inerente às mesmas. A Assembleia Municipal do Sal reconhece os feitos desta organização e de forma unânime quis reconhecer e distinguir o trabalho realizado, hoje”, frisou.

SC/CP

Inforpress/Fim