Ilha do Sal: Venda ambulante em carrinhos de mão vira moda e “indigna” salenses

*****  Sandra Custódio, jornalista da Agência Inforpress   ****

Espargos, 07 Mar (Inforpress) – A venda ambulante em carrinhos de mão na ilha do Sal, virou moda e “indigna” salenses, que aguardam “com ansiedade” a construção do novo mercado para a cidade de Espargos, anunciado para este ano de 2018.

O carrinho de mão, muito utilizado para o transporte de materiais em obras de construções, como argamassa e entulhos, agora tem outra serventia, especialmente para as comerciantes informais que o utilizam na venda ambulante, carregando os seus produtos, batata, cebola, banana, mandioca… à busca do sustento para os filhos.

A exposição destes “balcões ambulantes” é mais acentuada na zona do Morro Curral, à frente do minimercado Costa Lima, e da Foto Vieira.

Atendendo que cada “cinbron ten direito na cê gota d’água”, (cada zimbrão tem direito à sua gota de água) – como cantou Ildo Lobo -, enquanto a edificação do Mercado Municipal dos Espargos não acontece para resolver, de vez, o problema da venda ambulante e defender a segurança alimentar das famílias, o cenário vai se mantendo.

“É lamentável ver o estado em que as ruas e zonas dos Espargos se transformaram devido às vendas de produtos nos passeios. Mas mais triste ainda é ver essas chefes de família, que andam à cata de um pão de cada dia, o sustento dos filhos, a serem perseguidas e desatarem a correr dos fiscais”, exterioriza Adelaide Lima, dona de casa e funcionária, visivelmente revoltada.

“Isso não pode continuar assim. Que a câmara arranje solução para todas, que edifique o mais depressa possível, o anunciado mercado dos Espargos”, replicou outra senhora.

Quem também se manifestou indignado com a situação em declarações à Agência Inforpress é o deputado do PAICV, José Paixão, para quem carrinho de mão servia, outrora, para carregar lixo e bicho morto.

“Isso está um pandemónio”, desabafou.

Perante o panorama, reiterando a intenção da construção de um novo mercado para a cidade de Espargos, a ser edificado nas antigas instalações de DMN – antigo quartel –  em Morro Curral, o edil Júlio Lopes, deixa claro que a “tolerância é zero” para a venda ambulante, particularmente na Rua Toy Pedro, no coração da cidade de Espargos.

O autarca anuncia a proibição ao mesmo tempo que apela à população do Sal a não comprar nesses vendedores, para que a disciplina se impere nas cidades, lembrando que os fiscais e polícias, têm toda legitimidade para agir.

“Estamos a trabalhar para construir ali na zona do Morro Curral um grande espaço comercial. Mercado para legumes, espaço para venda de peixe e carne…  Queremos que quem vende tenha toda a dignidade. Ao mesmo tempo, temos de defender a segurança alimentar das famílias que têm de consumir produtos em boas condições higiénicas”, frisou o autarca.

SC/FP

Inforpress/Fim