Ilha do Sal: Senhoras nazarenas reflectem papel da mulher na sociedade igreja e família

Espargos, 26 Mar (Inforpress) – As senhoras nazarenas, no Sal, estiveram reunidas sábado para reflectir “O papel da mulher na sociedade, igreja e família”, evento promovido pelo Ministério de Senhoras da Igreja dos Espargos, no âmbito das celebrações de Março mês da Mulher.

A palestra, que teve como prelectores, o sociólogo Carlos Elias Monteiro, que dissertou sobre o tema “O papel da mulher na sociedade, igreja e na família”, e Romina Almeida, mestre em Ciências da Educação, viajou pela “Estética e beleza da mulher”, teve lugar no final da tarde, no auditório da Academia de Futebol do Académico do Sal, nos Espargos.

Fugindo ao seu papel de crente e membro da igreja, Carlos Elias dissertou sobre o papel da mulher nestas perspectivas, tanto no passado como no actual contexto mundial, onde pairam muitas interrogações, tornando-se também confusas as respostas.

“Nos dias de hoje vamos sentindo ainda um pouco destas distinções no seio das sociedades, famílias… e vamos vendo que há todo um conjunto de expectativas daquilo que esperamos em relação ao papel do outro, isto é, da mulher ou do homem”, explicou.

No caso do binómio mulher/família, concretamente, considerando que a mulher tem um papel importante no seio familiar, o interlocutor observa que nesta vertente, incumbe a mulher preservar os valores defendidos, uma vez que a família foi sofrendo alterações ao longo da vida, provocadas pelas mudanças e modificações sociais.

Neste particular, realçou a questão do género – hoje em dia “muito discutida” -, o reforço do papel da mulher na sociedade – sem se cair, todavia, em determinados estereótipos -, destacando o facto de actualmente se registar, cada vez mais, presença de mulheres nas universidades, a par de um maior reconhecimento do seu papel e contributo nos vários espaços da vida social.

Para finalizar, enfatizou: “Sem a mulher não haveria a perpetuação da espécie humana”.

Romina Almeida, por sua vez, entendeu partilhar com as mulheres nazarenas o tema “Beleza e estética”, não no sentido lacto da palavra mas no que respeita aos cuidados a ter com o corpo, espirito e alma, isto é, a presença de uma mulher forte por dentro e linda por fora, já que, conforme anota, Deus não se preocupa com o lado exterior das pessoas.

“O nosso corpo é um templo de Deus e devemos cuidar dele como tal”, aponta, estribando-se na passagem bíblica de Provérbios 15:13.

No final da sua explanação apelou às senhoras nazarenas a cuidarem destas três áreas, importantes para o fluir da vida, “perfeitamente bem”, com alegria e satisfação, tendo Deus sempre em primeiro plano das suas vidas.

Romina Almeida termina deixando algumas dicas de elegância e beleza física, já no verdadeiro sentido da palavra: Como se vestir, se comportar, ficar, estar ou sentir-se bela.

SC/CP

Inforpress/Fim