Ilha do Sal: Programa educativo Nós Somos Energia entrega prémios aos alunos vencedores do concurso de desenho

Espargos, 03 Mai (Inforpress) – O programa educativo “Nós Somos Energia” faz hoje a entrega de prémios aos alunos do 4º ano do ensino básico, na ilha do Sal, vencedores do concurso de desenho, durante actividades esta tarde na Delegação Escolar local.

Criada pela Cabeólica e pelo Centro para as Energias Renováveis e Eficiência Energética da CEDEAO (ECREEE), a acção foi desenvolvida em parceria com a Delegação do Ministério da Educação, local.

A iniciativa tem como propósito dar a conhecer de forma “didáctica e divertida” as diferentes fontes de energia e os impactos que provocam no meio ambiente, bem como sensibilizar as crianças para a necessidade de utilização mais racional da energia eléctrica.

Estes prémios distinguem os desenhos que os alunos realizaram durante o programa educativo dedicado ao ensino das fontes de energia limpas e eficiência energética, onde transmitiram os conhecimentos adquiridos nas aulas leccionadas, valorizando os recursos energéticos existentes em Cabo Verde e as energias limpas, assim como a promoção de hábitos de eficiência energética.

O programa “Nós somos Energia” pretende ainda promover alterações e comportamentos futuros para fomentar a eficiência energética e valorizar os recursos naturais existentes no país.

Nós Somos Energia é um programa educativo dedicado ao ensino das fontes e energia limpas e eficiência energética para crianças em idade escolar entre 9 a 10 anos, no 4º ano de escolaridade.

Conforme os parceiros, “Nós somos energia” vem reforçar o plano curricular aprovado, porquanto envolve alunos em diferentes actividades didácticas com aulas animadas em slides e power point, confecção de um moinho de vento e concurso de desenho.

Segundo Antão Fontes, representante da Caboeólica “é muito importante” que as crianças valorizem os recursos naturais existentes em Cabo Verde e que desenvolvam comportamentos energéticos eficientes de modo a contribuir para a sustentabilidade do planeta.

SC/CP

Inforpress/Fim