Ilha do Sal: Noventa crianças deixam colónia de férias com saudades

Espargos, 31 Ago (Inforpress) – Cerca de noventa crianças que participaram na colónia de férias, nos Espargos, ilha do Sal, durante dois meses, deixam a actividade que chegou ao fim, esta quinta-feira, com saudades desse tempo de convívio e de aprender brincando.

Promovida pela autarquia, “Sal em Férias”, durante dois meses, aglomerou crianças dos três aos 12 anos, num tempo que foi de aprender brincando, com jogos diversos, experiências científicas, visitas a algumas zonas da ilha, instituições e empresas, entre várias outras actividades e entretenimentos.

Para marcar o encerramento foi elaborado um programa envolvendo todos os meninos, com momentos de magia, acrobacia, teatro, música e dança, depois de um período de muita aprendizagem, momentos diferentes e experiências novas.

Segundo a coordenadora Vera Rocha, para quem a colónia de feiras foi “muito desafiante, porém bom”, conforme disse, já que conseguiram cumprir os objectivos.

“Acho que foi muito bom porque cada vez mais estavam entusiasmados para vir e cada dia queriam saber o que ia acontecer, o que íamos fazer (…). Creio que os objectivos foram cumpridos”, manifestou a coordenadora, observando que em clima de férias as coisas correm sempre muito melhor do que no dia-a-dia de escola, ou em casa, isto quando questionada sobre o comportamento dos meninos.

“Felizmente, nós temos essa sorte. Eles nas férias têm a parte de diversão, acima de tudo. É esse também o objectivo das nossas actividades, é que eles se divirtam. Mesmo entre eles há sempre um comportamento muito melhor que ao longo do ano lectivo, em casa com os pais (…). É neste momento de colónias de férias que criam amizades novas, um clima de companheirismo que, felizmente, nessa parte corre sempre tudo muito bem”, frisou.

Em nome da Câmara Municipal do Sal, o director da Educação, Irineu Almeida disse que a actividade, que ocupa as crianças de “melhor forma”, durante as férias escolares é para continuar.

Sandro Miguel, de dez anos e outras crianças que estiveram todo esse tempo no “Sal em Férias” dizem que é com saudades que vão para casa porque foram momentos “deliciosos”, interessantes, de convívio e experiências novas.

Os pais também não ficam para trás, considerando tratar-se de uma alternativa “importante” para os progenitores que não têm opções para os filhos durante as férias.

“É uma actividade segura, onde as crianças aprendem muitas disciplinas, ciências e outras coisas, mas sobretudo, conhecem outros meninos e pessoas, e de forma divertida ocupam o seu tempo livre, deixando os pais tranquilos”, manifestaram alguns pais em declarações à Inforpress.

Entretanto, lançam um repto à câmara no sentido de estender a colónia de férias a camadas sociais que não conseguem pagar esta propina de dois mil escudos para esse período de diversão e ocupação de tempos livres das crianças, cujos filhos ficam na rua ou sozinhos em casa a ver televisão, enquanto os pais vão trabalhar.

Extensivas também à cidade de Santa Maria onde foram acolhidas 70 crianças, lá o encerramento das actividades acontecem na tarde desta sexta-feira.

As próximas colónias de férias vão ser realizadas no Natal e na Páscoa.

SC/CP

Inforpress/Fim