Ilha do Sal: Câmara Municipal vai dotar município de contentores subterrâneos

 

Espargos, 30 Out (Inforpress) – A Câmara Municipal do Sal vai apostar no sistema de contentores subterrâneos, com capacidade para mais de três mil toneladas de detritos, visando a melhoria de recolha e deposição do lixo na ilha e consequentemente melhor ambiente.

O presidente da câmara, Júlio Lopes, fez o anúncio no momento em que o ministro do Ambiente, Gilberto Silva, visita a ilha do Sal, para se inteirar da situação de deposição de lixo e escombros na ilha, no âmbito do projecto Remoção de Resíduos de Demolição e Construção (RDC).

O autarca, para quem a actual situação da lixeira “não tem nada a ver” com a imagem que tinha há dois/três meses, é sinal de que a Câmara Municipal do Sal, em parceria com o Ministério do Ambiente, estão a abordar a questão do saneamento “com severidade”, não só a nível de recolha mas também de deposição do lixo.

“Antes era um desastre total. Agora a lixeira está um espaço completamente diferente. Não tem nada a ver com a situação anterior, de há dois ou três meses atrás. Quanto à recolha, com o apoio do Governo, já encomendamos dois camiões de lixos, novos, e vamos instalar contentores subterrâneos, com estética e promover a educação ambiental para continuar este processo”, apontou.

“Depois de rescindirmos o contrato com a Salimpa, e estando a câmara a assumir esta tarefa de recolha de lixo, já melhoramos consideravelmente e vamos melhorar ainda mais a questão da deposição, porque uma ilha turística não pode ter lixo a céu aberto”, defendeu.

Para o titular da pasta do Ambiente, que na tarde de hoje conheceu o real estado da lixeira municipal, no Morrinho de Açúcar, a situação actual dos serviços de recolha, o plano operacional dos resíduos e o futuro aterro sanitário, a questão da gestão dos resíduos sólidos urbanos constitui, naturalmente “grandes desafios” a vencer numa ilha que assiste um rápido crescimento, daí que impõe definir uma “boa política”.

“É preciso dar uma grande atenção a esta problemática e ter a noção que as coisas acontecem progressivamente. Desde logo, a melhoria de recolha, transporte, tratamento e a deposição final dos resíduos. Há que melhorar passo a passo, mas creio que o município está no bom caminho”, considerou Gilberto Silva, manifestando disponibilidade do Governo em ajudar o Município do Sal a encontrar “o melhor caminho” nesta matéria.

SC/AA

Inforpress/Fim