Ilha do Sal: Autarquia formaliza protocolo para acolher os Jogos Africanos de Praia 2019

Espargos, 13 Mar. (Inforpress) – A autarquia formalizou hoje o protocolo que estabelece as responsabilidades conjuntas entre a Câmara Municipal do Sal, o Comité Olímpico de África (ACNOA) e o Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), para realização dos primeiros Jogos Africanos de Praia 2019.

O documento da parceria tripartida foi rubricado no final desta manhã pelo edil Júlio Lopes e a presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano, Filomena Fortes, na presença também do secretário executivo do COJAP, Yann Graven, que se encontra no país para analisar as condições da ilha e fazer um levantamento das necessidades reais para acolher os jogos em apreço.

Os I Jogos Africanos de Praia 2019 que se aguarda com “muita expectativa” trará para o país, mais concretamente para a ilha turística, cerca de mil atletas e 500 oficiais, oriundos de 54 países africanos.

Enquanto cidade anfitriã do evento desportivo Sal terá por missão o acompanhamento e o apoio logístico e material à organização do acontecimento, e assegurará a coordenação a nível local.

A propósito, Júlio Lopes disse ter reagido “com satisfação” à ideia de Sal acolher estes jogos africanos de praia já que juntamente com “experts” e responsáveis de organizações desportivas de outras latitudes permitirá atrair mais desportistas de cariz internacional ao país.

“Estes jogos olímpicos de praia é mais um passo para o posicionamento de Cabo Verde enquanto um país que passa a receber eventos internacionais de grande nível, com todos os impactos que isso pode ter para a nossa economia”, frisou o autarca.

Por sua vez, Filomena Fortes destacando que neste momento estão no país, dois experts para fazer o diagnóstico da situação da ilha do Sal, o levantamento das reais necessidades para se poder realizar os jogos sem perturbações, deixou claro, porém, que a concretização do acontecimento será em função das capacidades do país.

“Os desafios são muitos, mas estamos a estudar a melhor forma para que o evento decorra de forma normal. Se o Governo se engajou é porque temos capacidade de o fazer. Estou confiante. Queremos que estes jogos deixem um legado. E penso que serão os melhores, se cada um fizer a sua parte”, exteriorizou.

Apesar de ainda não estarem definidas as modalidades que irão fazer parte dos jogos, a responsável avançou que as propostas recaem sobre várias disciplinas, designadamente voleibol e andebol de praia, futebol, luta africana, ténis, desportos náuticos, taekwondo, entre outras.

“É um grande desafio, mas as expectativas são as melhores. Nós vamos fazer os melhores jogos de sempre”, prognosticou Filomena Fortes.

SC/ZS

Inforpress/Fim