Ilha do Sal: Ano lectivo 2017/2018 foi muito positivo em vários sentidos – delegada

Espargos, 30 Ago (Inforpress) – A delegada do Ministério da Educação, na ilha do Sal, Márcia Graça, asseverou, hoje, que o ano lectivo 2017/2018 “foi muito positivo”, em vários sentidos, destacando, além dos resultados, a realização de investimentos.

Prestes a começar o novo ano lectivo, 2018/2019, Márcia Graça aproveita para informar que a delegação do Ministério da Educação no Sal terminou o ano lectivo com “bons resultados”.

“A ilha do Sal tem vindo a ter uma taxa muito boa de aprovação”, considerou, apontando que neste momento, a nível do ensino básico obrigatório, que agora tem dois ciclos, no 1º ciclo a taxa de aprovação ronda os 90 por cento (%), enquanto no 2º ciclo a taxa foi de 80,3%.

Já no ensino secundário, segundo Márcia Graça, a taxa mantém-se “mais ou menos estável” em relação aos outros anos, com uma “ligeira subida”, isto é, acima dos 77%, destacando o nível de aprovação no 12º ano.

“Este ano no ensino secundário, tivemos uma taxa muito boa de aprovação no 12º, de 94%. Já há três anos lectivos que não tínhamos uma taxa tão boa assim. Também, em relação ao ano passado, o 9º ano teve uma melhoria significativa, com uma taxa de quase 90% contra os 60% do ano lectivo transacto”, referiu.

O que, conforme disse, faz a ilha do Sal um concelho “bem classificado” a nível nacional, referindo-se, porém, que a taxa de abandono é um dos desafios que ainda se coloca, “principalmente” a nível do 7º e 8º anos.

“No geral, a taxa de abandono escolar está em cerca de 6,9, mas boa parte regista-se no 7º e 8º anos, principalmente no 7º ano. Temos algumas orientações, no sentido de trabalhar, fazer um estudo junto desses alunos para ver o que querem, quais as suas perspectivas, de modo a se poder reverter o problema”, disse.

Segundo a responsável da Educação local, estão já identificados os alunos nessas condições, sendo cerca de 150 discípulos devendo ser acompanhados visando a sua recuperação.

Considerando a mobilidade da ilha, a chegada de mais famílias, Márcia Graça aponta que há ainda pessoas a matricular, porém, o processo está a decorrer na normalidade, contornando as situações, perspectivando soluções para se poder iniciar as actividades lectivas da “melhor forma possível”.

Não obstante os desafios e novas apostas educativas, Márcia Graça perspectiva um “bom ano” escolar, que arranca no dia 17 de Setembro, com perto de sete mil alunos.

Garante que todas as escolas vão funcionar “dentro da normalidade”, tanto o Ensino Básico como o Secundário, lamentando, entretanto, o estado dos mobiliários de algumas salas.

“Não conseguimos fazer uma renovação total dos mobiliários, mas temos um plano para o efeito. O desafio para este ano é receber novos materiais pedagógicos, e fazer uma renovação total dos mobiliários nas diferentes escolas”, prognosticou.

Desejando um bom ano lectivo a todos, a responsável da educação na ilha, conclui apelando a uma mais participação dos pais e encarregados de educação na vida escolar dos seus educandos.

SC/CP

Inforpress/Fim