Ilha do Maio sem registo  de casos de abuso sexual infantil neste primeiro semestre – ICCA

Porto Inglês, 12 Jun (Inforpress) – A unidade do  Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente   (ICCA) na ilha do Maio, encontra-se sem registo de casos de abuso e violação sexual infantil, neste primeiro semestre, garantiu hoje à Inforpress a psicóloga Evelise Metteroque.

A psicóloga do ICCA na ilha, à Inforpress, assegurou ser “muito gratificante” o registo do semestre, já que no ano passado registaram oito casos, a cujas vítimas e famílias estão a prestar assistência.

Segundo avançou, para cada caso a assistência tem sido diferente, uns com apoio periódico  e outros mais especializado e particular, dependendo do caso

A situação “mais preocupante” neste momento, concretizou, relaciona-se com o aparecimento de casos de maus tratos físicos em  criança no seio familiar, razão pela qual nos últimos meses  receberem várias denúncias do tipo por parte dos próprios pais, que alegam que os filhos estão a desobedecê-los.

Segundo relatos dos pais, a única forma de fazer vingar os seus poderes tem sido aplicação de alguns castigos, informou aquela representante, acrescentando que neste momento estão a materializar uma campanha de sensibilização, uma tentativa de mudar este modo de actuação dos pais.

“Os pais precisam ver outras formas e estilos  educativos para com os seus filhos, porque está claro que o mau trato ou agressão física já há muito tempo que não funciona, pelo contrário”, frisou a psicóloga.

Evelise Metteroque disse ainda que na cidade do Porto Inglês “é visível” a situação de algumas famílias monoparentais com “alguma desestruturação”, motivo pelo qual algumas  crianças passam muito tempo na rua e os pais  não tem conhecimento do que os seus filhos andam a fazer, o que na sua opinião é uma situação “bastante alarmante”.

“Se as famílias e a própria comunidade não criarem este tipo de percepção de riscos, com o tempo pode vir a criar problemas ainda mais alarmantes nesta ilha, com muita vocação para o turismo”, notou.

Aproveitou a ocasião para chamar atenção das famílias para dar “mais atenção e melhor educação” aos seus filhos, evitando críticas sociais.

A unidade do ICCA na ilha realiza desde o mês de Maio um conjunto de actividades para assinalar tanto o mês da família como o da criança, que culmina no dia  30 de Junho com a realização do festival “Brinquemos”, com vários tipos de jogos  infantis.

WN/AA

Inforpress/Fim