Ilha do Maio: PAICV denuncia “abuso de poder” e “assédio laboral” na câmara municipal

Cidade da Praia, 27 Mar (Inforpress) – A Comissão Política do PAICV do Maio acusa a câmara municipal de prática corrente de “abuso de poder e assédio laboral” há mais de 20 anos e confirma a situação que se “configura a trabalho escravo”.

Em conferência de imprensa esta manhã, o presidente da Comissão Política do PAICV, Fernando Frederico, disse que “as vítimas, muitas vezes, têm-se remetido ao silêncio por medo de sofrer represálias e perder o seu ganha-pão”, e que os maienses “estão fartos de saber da situação vergonhosa que configura, a trabalho escravo” tal como foi dito pela secretária-geral da central sindical UNTC-CS.

Fernando Frederico demarca-se das palavras do edil, Miguel Rosa, em como a secretária da UNTC-CS foi ao Maio “numa missão de favorecer ao PAICV”, e acusa-o da falta da verdade, de forma despudorada”, alegando que a comitiva sindical integrava indivíduos afectos tanto ao MpD (poder) como ao PAICV.

Fernando Frederico vai mais longe ao acusar o autarca de pautar a sua gestão camarária pela partidarização “com evidente deterioração das condições laborais” maienses, beirando o trabalho escravo, e ressalva que “tais atropelos” aos direitos dos trabalhadores não se restringem aos guardas afectos aos Serviços Autónomos de Água e Saneamento.

É que para este deputado nacional, estas “arbitrariedades” abrangem ainda os guardas afectos à câmara, os guardas florestais, da Delegação e do Centro Zootécnico do Ministério da Agricultura e Ambiente, do Ministério da Educação e do Tribunal da Comarca.

Fernando Frederico explicou que estes trabalhadores trabalham 12 horas diárias, de forma ininterrupta e sem direito ao descanso semanal, e sem se puderem disfrutar dos feriados, além de auferirem “salários de miséria”.

Fez questão de recomendar o autarca a cumprir os compromissos firmados com os maienses de forma a concluir o Estádio Municipal, construir os estádios de futebol em Calheta e Barreiro, arrancar com as obras do pavilhão desportivo na cidade do Porto Inglês, implementação da rede de esgotos e de uma estação de tratamento de águas residuais, a requalificação das ruas da Calheta e Ribeira de Fontona, entre outros.

SR/CP

Inforpress/Fim