Inicio Politica Ilha do Maio: Opções económicas e de desenvolvimento do país têm propiciado...

Ilha do Maio: Opções económicas e de desenvolvimento do país têm propiciado a colocação da ilha na periferia – PR

Porto Inglês, 08 Set (Inforpress) – O Presidente da República afirmou hoje que as opções económicas e de desenvolvimento adoptadas para Cabo Verde ao longo dos anos têm colocado a ilha do Maio na periferia, tendo apelado à execução de medidas eficazes que melhorem essa situação.

Jorge Carlos Fonseca fez esta constatação quando presidia ao acto da sessão solene alusiva ao  Dia do Município do Maio (8 de Setembro), tendo na ocasião sublinhado que é de suma importância que se executem medidas que pela sua pertinência reduzam significativamente o custo da periferia, tendo como propósito elevar a actratividade da ilha tanto para as pessoas quanto para as empresas.

Neste sentido, o chefe do Estado frisou que não se deve apenas ficar pela atracção dos operadores turísticos, mas também e sobretudo dos investidores nacionais e estrangeiros que desejam explorar outras potencialidades que turismo sol e mar.

No dia em que completa o centenário da instituição do feriado municipal, Jorge Carlos Fonseca exortou o município à adopção de medidas e de ter capacidades endógenas para definir autonomamente as suas prioridades, pensar e conceber os seus projectos, mobilizar recursos e negociar com o poder central o financiamento e a execução dos projectos.

“É evidente que a capacidade endógena pressupõe a mobilização da sociedade civil e dos filhos da ilha que residem nas outras ilhas. Esta desejada participação cidadã é possível se se estabelecer um diálogo frutífero entre as autoridades locais e as organizações da sociedade civil”, afirmou, realçando que será preciso que a Câmara do Maio não seja centralizadora e promova a participação cidadã nos assuntos do concelho.

Jorge Carlos Fonseca, disse, por outro lado, que há neste momento condições para a exploração económica do turismo doméstico voltado para a terceira idade e para os jovens nos períodos de férias escolares, defendendo que a promoção desse sector será seguramente um passo importante na promoção do turismo doméstico.

“Deve-se ter presente que transformar a ilha do Maio no epicentro do desenvolvimento do turismo doméstico é de uma certa forma fazer da ilha um centro de consumo, possível e unicamente se relançar a produção local porquanto não é desejável que o turismo que se quer domestico alimente essencialmente de produtos importados “, advogou.

No entanto, para que a relação entre a actividade turística e o desenvolvimento do Maio seja positiva, Jorge Carlos Fonseca sublinhou que é preciso que a Pro-Empresa e o IEFP tenham uma postura proactiva e proponham um pacote especifico que contribua no desenvolvimento do turismo local.

Neste quadro, de acordo com o chefe do Estado, inscreve-se a perspectiva de resolução do importantíssimo problema do porto do Maio, infra-estrutura que considerou decisiva para a normal circulação de pessoas e bens essenciais para o desenvolvimento da ilha, pois, num país arquipelágico a ligação marítima é determinante para o bem das pessoas e das actividades económicas.

O Presidente da República exortou ao forte engajamento entre a Câmara Municipal do Maio e do Governo na resolução definitiva do problema de mobilidade inter-ilhas sem a qual não se pode, conforme realçou, ter a aspiração de um desenvolvimento económico local, o fim do isolamento desta ilha e a sua consequente integração no sistema cabo-verdiano.

CM/FP

Inforpress/Fim.