Ilha do Maio: Ministro promete apresentar nas próximas semanas um “master plano” para os sectores agrário e ambiental

Porto Inglês, 17 Jan (Inforpress) – O ministro da Agricultura e Ambiente prometeu quarta-feira continuar a trabalhar juntamente com os parceiros local para que nas próximas semanas, o Governo possa apresentar um “master plano” dos sectores agrário e ambiental para ilha do Maio.

Segundo Gilberto Silva, este documento será um tipo de caderno de encargos, que vai apresentar as medidas e intervenções a serem realizadas tendo em vista o desenvolvimento do sector agrário no Maio e que venha a corresponder as expectativas de todos.

Conforme o governante, vai ser um documento orientador de todas as acções a serem desenvolvidas no Maio, mas que vai ser apresentado também para as restantes ilhas do país.

“Vai ser um documento concreto sobre a gestão de carvão, da água e também ligado à própria melhoria da pecuária em si e que vai ser apresentado nas próximas semanas”, indicou.

Neste sentido, Gilberto Silva avançou que vai ser mobilizado mais água com o equipamento de mais furos, mas também incentivos para a melhor uso deste líquido precioso. Igualmente, será desenvolvido um projecto que pode ajudar a tirar a conclusão se é viável ou não a utilização da água dessalinizada para a prática da agricultura.

O ministro lembrou ainda que a ilha possui um número de efectivo de gado superior à sua capacidade de produção de pasto, pelo que apelou aos criadores que façam o abate selectivo dos seus rebanhos, no sentido de poderem alimentar os restantes.

No final da sua visita de três dias ao Maio, Gilberto Silva participou na feira de gado que aconteceu hoje na cidade do Porto Inglês, evento que considerou “bem sucedido”.

Considerou a visita “bastante profícua”, tendo em conta que acabou de conhecer melhor a realidade que se vive na ilha e as preocupações e os questionamentos tanto dos agricultores como dos criadores.

Nesta sua deslocação à ilha do Maio, o ministro da Agricultura e Ambiente fez-se acompanhar de vários técnicos do seu ministério e da presidente do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA), Ângela Moreno.

WN/CP

Inforpress/Fim