Ilha do Fogo: Projecto “Volcano City” vai revolucionar o município de Santa Catarina – edil

São Filipe, 21 Nov (Inforpress) – O projecto “Volcano City”, que vai ser socializada quinta-feira na cidade de Cova Figueira com emigrantes e potenciais investidores. é “inovador e vai revolucionar” o município de Santa Catarina e a própria ilha do Fogo.

A afirmação é do presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, Alberto Nunes, que explicou que o “Volcano City” é um projecto que vai ocupar toda a orla marítima de Santa Catarina, desde Alcatraz até Bombardeiro, com cerca de três quilómetros de extensão.

Observou que se trata de uma iniciativa público-privada que deve ser implementada num horizonte temporal de 15 anos.

“É um projecto muito bem fundamentado e visa atrair pessoas  para a ilha e para o município de Santa Catarina tendo em conta a sua valência”, disse Alberto Nunes, indicando que o projecto, que é “eminentemente turístico”, prevê a construção de uma via rápida na orla marítima e uma segunda via, com espaços para turismo, industrias, infra-estruturas públicas, habitações, complexo desportivo, praças e rotundas, entre outros equipamentos sociais.

O projecto envolve a câmara e o Governo e numa fase posterior os privados interessados, afirmou o responsável, notando que após esta primeira socialização/apresentação na cidade de Cova Figueira, no quadro das festividades do Dia do Município, outras sessões de socialização serão concretizadas em outras localidades do município e da ilha, por ser um projecto “inovar e que vai revolucionar muita coisa” no município e na própria ilha.

Questionado se a implementação do projecto e a criação de um novo polo de desenvolvimento não implicaria a transferência do centro da cidade para a orla marítima, Alberto Nunes afirmou que o futuro é que vai determinar.

A apresentação ocorre no quadro do encontro que a câmara promove com as instituições bancárias com representação na ilha e os emigrantes do município de Santa Catarina que estão de férias, seguido de uma tarde cultura com emigrantes, promovida pelos alunos da escola secundária de Cova Figueira, no âmbito da disciplina Cultura Cabo-verdiana.

JR/AA

Inforpress/Fim