Ilha do Fogo: Pescador encontra-se desaparecido no mar e a busca vai ser retomada a partir das primeiras horas de terça-feira

São Filipe, 16 Jul (Inforpress) – Um pescador de 48 anos que respondia pelo nome de Marcelo Jorge Monteiro “Chalé”, originário de Fonte Aleixo (Santa Catarina) encontra-se desaparecido no mar nas proximidades do porto de Vale dos Cavaleiros.

Marcelino Jorge Monteiro fez-se ao mar por volta das 04:30 desta segunda-feira na companhia de Silvestre Barros de 65 anos, e por volta das 09:30 a embarcação sofreu um rombo e começou a entrar água, acabando por provocar um acidente.

Silvestre de Barros, que conseguiu nadar até chegar à terra nas proximidades da Casa Betània, informou às autoridades do acidente para que providenciasse a busca do seu companheiro. Disse que na altura em que os dois iniciaram a faina o tempo estava mais calmo e com menos vento, mas que este começou a soprar com maior intensidade na altura em que estavam prestes a concluir a faina e regressar à terra.

Segundo o mesmo, quando se registou o rombo na embarcação encontravam-se perto do cais, e pediu ao seu companheiro para ter ânimo e coragem para nadarem, sendo que ele (Silvestre) agarrou-se aos remos e Chalé do depósito de combustíveis e começaram a nadar, mas pouco tempo depois disse que não tinha coragem e regressou à embarcação.

O delegado da Agencia Marítima Portuário (AMP), Marino Rodrigues, disse que foram alertados por volta do meio-dia/uma hora de que estava uma embarcação desaparecida com um dos pescadores à deriva no mar e a primeira coisa que fez foi accionar meios para o resgate do pescador e comunicar o pessoal de busca em São Vicente que informou a Capitania de Sotavento.

Segundo o delegado, logo após a informação deu-se início à busca tendo a equipa de polícia marítima percorrido as imediações do porto de Vale dos Cavaleiros, indo um pouco mais acima de Praia Ladrão, mas sem sucesso. A equipa, acrescentou, depois de falar com o pescador que conseguiu se salvar deu indicação de que o pescador que estava à deriva podia ter ido pelo mar adentro devido às condições do mar.

Pouco depois das 18:00, as buscas foram suspensas porque o estado do mar não estava favorável, com ondulação alta e muito vento o que dificulta muito a busca que vai ser retomada nas primeiras horas de terça-feira.

Durante o período da busca, a mesma foi suspensa por um curto período de tempo para descanso da equipa e momentos depois avistara a embarcação atrás do porto de Vale dos Cavaleiros, tendo a mesma sido resgatada e trazida para a praia com alguma dificuldade porque a ondulação era forte e com vento a soprar com alguma intensidade.

Com a embarcação foi recuperado o depósito de combustível onde o pescador estava amarrado mas a corda e a tubagem estavam arrebentadas, e por isso não se conseguiu encontrar o pescador.

A busca, segundo Marino Rodrigues, vai ser retomada na costa pelo mar para tentar encontrar o corpo do pescador devido à existência de sítios de difícil acesso para as praias.

Os familiares do pescador desaparecido mostraram-se “descontentes” com a suspensão e a forma como decorreu a busca e, no dizer de Carlos Rodrigues, apesar da negligência dos pescadores em se fazerem ao mar com o tempo ventoso, a AMP demorou a iniciar a busca e suspendeu a mesma muito cedo.

Este acusou a AMP de dar “mais atenção” à tartaruga do que a um ser humano, mostrando esperançado que ainda se possa resgatar o pescador ou o seu corpo.

Marcelino Jorge Monteiro começou a faina da pesca com Silvestre Barros há cerca de uma semana, já que antes pescava com um outro proprietário de embarcação que opera no cais de pesca do porto de Vale dos Cavaleiros.

JR/ZS

Inforpress/Fim