Ilha do Fogo: Cortejo fúnebre do Senhor Zuca passa pela sede do Botafogo e pelo salão nobre da edilidade

São Filipe, 28 Abr (Inforpress) – O cortejo fúnebre do enfermeiro, fundador e dirigente do Botafogo e primeiro delegado do Governo, Rolando Lima Barber “Senhor Zuca”, que ora se realiza, passou pela sede do Botafogo e pelos Paços do Concelho de São Filipe.

Segundo dirigentes do Botafogo, que conjuntamente com os familiares organizam o funeral, o cortejo partiu da morgue do hospital São Francisco de Assis onde o corpo se encontrava, dirigindo-se à sede do clube do seu coração, Botafogo, que fundou em 1973 e com o qual conquistou um título de campeão nacional, dois vice-campeões nacionais e vários títulos regionais.

Na sede do Botafogo, o dirigente deste clube Manuel Maria Anatólio Fonseca “Toly”, que conviveu de perto com Senhor Zuca, falecido na quarta-feira, 25, assim como o presidente da associação regional de futebol transmitiram uma mensagem em memória deste que é a figura incontornável do desporto foguense e cabo-verdiano.

Da sede do Botafogo, a urna com o corpo do Senhor Zuca foi transportada para o salão nobre dos Paços do Concelho de São Filipe, onde o edil Jorge Nogueira fez um elogio fúnebre a esta figura que exerceu durante 10 anos (1975 a 1985) o cargo de delegado do Governo da ilha do Fogo, abrangendo os três municípios actuais.

Segundo o itinerário, do salão, a urna dirigiu-se à residência da família, na avenida Amílcar Cabral, ao lado do antigo hospital regional, onde durante anos exerceu com mestria a sua profissão de enfermagem e ajudou a salvar muitas vidas na ilha, seguindo depois para a igreja do Nazareno, a uns 20 metros da sua residência e da igreja para o cemitério.

O funeral estava inicialmente agendado para sexta-feira à tarde, mas como dois filhos do malogrado que residem nos Estados Unidos só chegaram à ilha do Fogo na noite de sexta-feira, o funeral realiza-se hoje, sábado, 28 de Abril.

O funeral acontece no mesmo dia em que a edilidade de São Filipe tinha programado uma homenagem a esta figura, que adoptou a ilha do Fogo como sua, em sinal de reconhecimento pelo contributo dado pelo desenvolvimento nas áreas desportivas, sanitária, social, educacional, cultural, de entre outras, e dois dias depois da data que o seu clube de coração tinha programado uma outra homenagem.

A cidade de São Filipe e a ilha do Fogo despedem-se do seu “filho adoptivo” que muito contribuiu para o seu engrandecimento, já que apesar de ter nascido na ilha de Santiago a 13 de Maio de 1926, viveu nesta ilha por mais de 50 anos.

Foi enfermeiro, delegado do Governo (o primeiro da ilha do Fogo), deputado da nação, segundo secretário da Assembleia Nacional e chefiou uma delegação parlamentar que visitou a ex-União Soviética, e como delegado do governo visitou a Alemanha, Açores. Foi delegado da EMPA.

Foi homenageado pelo antigo Presidente da República, António Mascarenhas Monteiro, em 1999 com a 1ª classe da medalha do Vulcão, agraciado com diploma de mérito desportivo (2003), homenageado pelo Clube Juventude Cabo-verdiana nos EUA (2004) e pela Assembleia Nacional (2005).

Como desportista representou as cores do Boavista, Nazarenos e Rapid (Praia). Foi fundador do Clube Ribeira Brava (São Nicolau), Sporting Clube da Boavista e do Botafogo, que como treinador foi campeão de Cabo Verde na época 79/80. Muito mais se podia dizer sobre esta figura Cabo-verdiana.

JR/ZS

Inforpress/Fim