Ilha do Fogo: Agricultores preparam-se para a faina agrícola e queixam-se do elevado preço das sementes

São Filipe, 12 Jul (Inforpress) – Os agricultores sobretudo das zonas tradicionalmente agrícolas da ilha estão a ultimar os preparativos para a faina agrícola 2018/19 mas queixam-se do preço “elevado” de algumas sementes.

Informações recolhidas pela Inforpress dão conta que a localidade de Cutelo Alto, zona alta dos Mosteiros, após a queda das primeiras chuvas, alguns camponeses começaram a faina agrícola esperançados na queda, nos próximos dias, de chuvas em maior quantidade.

Na zona norte de São Filipe e dos Mosteiros, os homens do campo estão a proceder à limpeza das suas parcelas e abertura de covas para facilitar no processo de sementeira, assim que cair as primeiras chuvas em quantidade suficiente para germinar as sementes.

Outros estão a equacionar a possibilidade de, a partir da segunda quinzena de Julho, efectuarem a sementeira em seco o que poderá constituir um risco caso as chuvas não forem suficientes para fazer germinar as sementes.

Alguns agricultores contactados pela Inforpress queixam-se do alto preço das sementes, comparativamente a épocas anteriores, decorrente da falta de produção registada em 2017 devido à seca, mas mesmo assim, indicam, vão adquirindo na medida das possibilidades.

De entre as sementes, a fava é comercializada a um preço mais elevado, 500 escudos por litro, seguido de bongolon a 300 escudos/litro e mancarra a 200 escudos/litro, já que no ano passado a produção destes géneros de feijões e de mancarra foram nulas ou em pouca quantidade.

O preço do milho também disparou e está a ser comercializado a 100 escudos/litro e em alguns casos as pessoas estão a pedir 150 escudos por cada litro de milho.

Neste momento, a delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) está a proceder à aquisição das sementes para apoiarem os agricultores das zonas onde a produção no ano passado foi nula, mediante um conjunto de critérios que foram socializados com instituições parceiras.

No processo de aquisição das sementes, a equipa técnica do MAA depois de contactar o proprietário que dispõe de sementes faz a recolha de amostras para ensaios de modo a ter a garantia de que as sementes estão em condições de germinar e só depois fazem uma segunda deslocação para adquirir as sementes para evitar a aquisição e distribuição de sementes que não estão em condições de germinar.

Não obstante a produção nula no ano passado por falta de chuvas, os camponeses estão esperançados e optimistas num bom ano agrícola e por isso estão a preparar-se para a faina agrícola, assim que as chuvas caírem, sobretudo nas zonas húmidas e sub-húmidas da ilha.

Na madrugada de hoje registou-se alguma precipitação na zona do litoral dos Mosteiros, mas na parte alta, a mais agrícola, nada, apesar do tempo estar encoberto e com boas perspectivas, segundo alguns agricultores de Atalaia.

JR/ZS

Inforpress/Fim