Ilha Brava: Máquina de gelo na zona de Furna já está em funcionamento

Nova Sintra, 19 Nov (Inforpress) – A máquina de gelo na ilha Brava, que se encontrava avariada, gerando descontentamento no seio dos pescadores e peixeiras da ilha, já está a funcionar.

O secretário municipal, Andrezito Varela, contou à Inforpress, que a máquina esteve algum tempo sem funcionar devido a uma avaria no evaporador, e tiveram de enviar a peça para a ilha de São Vicente para o concerto.

Entretanto, com a chegada da peça, depararam-se com outros problemas na máquina. A electrobomba para bombear a água para a produção do gelo danificou e a garrafa de gás esvaziou-se.

Com estas detecções, foram necessárias outras intervenções, para o “bom funcionamento” do equipamento.

Segundo Andrezito Varela, o empenho em reparar esta máquina advém do “reconhecimento”, de que na ilha, nem todos os pescadores ou peixeiras têm recursos para comprar uma arca, que permite-lhes conservar o pescado, sem recorrer ao gelo produzido na unidade de Furna, a única da ilha.

Mesmo com um negócio mais “fraco”, visto que, outras peixeiras e pescadores foram arranjando forma de conservar o peixe, colmatando a avaria da máquina, a unidade não vai deixar de funcionar, pois, outros dependem do gelo produzido e vendido por esta fábrica.

Questionado se mesmo com a diminuição dos clientes a máquina vai continuar a funcionar, o secretário municipal adiantou que, a autarquia preocupa com o bem-estar dos munícipes e por isso, não pretendem lucrar com a produção do gelo.

A única coisa que pretendem cobrir, são as despesas em relação a electricidade e a água utilizada.

Desta máquina de gelo, dependem várias peixeiras e pescadores da localidade de Furna, Lomba-Tantum, e alguns de Fajã D´Água, principalmente quando estão a exportar o pescado e alguns barcos de pesca, que fazem a faina nas encostas da ilha.

A reparação da máquina deixou satisfeitos os pescadores e peixeiras da ilha, porque, conforme alegam, mesmo que neste momento o mar está revoltado, não permitindo a saída dos botes, a esperança é que mais tarde apareça peixe em grande quantidade e a unidade de produção de gelo é a única que pode ajudá-los a conservar os peixes sem prejuízo.

Em meados de Setembro último, peixeiras e pescadores da zona de Furna procuraram a Inforpress para reclamar prejuízos avaliados em “mais de 100 mil escudos”, devido a inactividade da unidade de produção de gelo.

MC/CP
Inforpress/fim