Ilha Brava: Comerciantes satisfeitos com o início de carreira de uma nova embarcação de cargas

Nova Sintra, 10 Out (Inforpress) – Os comerciantes da ilha Brava receberam na tarde de hoje várias toneladas de cargas, transportadas pelo Navio Baltimore, deixando-os “satisfeitos e esperançosos” que o navio continue a fazer este percurso sempre.

Há mais de um mês que o navio Praia D´Aguada não faz o percurso Praia – Fogo – Brava e vice-versa, deixando os operadores económicos da ilha revoltados e com alguns prejuízos.

Para amenizar esta situação, deu-se entrada no porto de Furna, hoje, o Navio Baltimore, carregado de mercadorias, para abastecer os minimercados e lojas da ilha.

José Rocha, mais conhecido por Zezinho, substituto do gerente do minimercado Poupança, o maior da ilha, demonstrou a sua satisfação com a chegada do navio, pois segundo disse, “as vantagens são várias, desde que venha com alguma regularidade”.

Segundo Zezinho, na companhia Fast Ferry não têm como trazer grande quantidade de carga nos camiões, devido à questão de “pesagem” das cargas, o que impede os operadores económicos da ilha de fazerem “grandes compras”.

“Se fizermos grandes compras, no acto da pesagem, se ultrapassar o estabelecido, a companhia deixa as cargas no chão, que é uma situação realmente complicada”, lamentou o comerciante.

Quanto ao novo navio, Zezinho explicou que é só pagar a ordem embarque, de acordo com a quantidade de carga que têm, por cubicagem.

Mas, por ser a primeira vez, o gerente substituto disse não ter ainda uma “posição firme” para falar sobre o decorrer do processo, pelo menos antes do final da descarga.

Mas o operador salientou que na companhia Fast Ferry, normalmente, os comerciantes pagam cerca de 45 mil escudos para um camião, e não vem cheio, enquanto pagam um valor idêntico a este no navio, para uma maior quantidade de carga.

Evandro Nascimento, proprietário e capitão do navio contou que esta é a primeira viagem que a embarcação está realizando para a ilha e está “satisfeito” com os resultados.

O interesse do capitão em explorar esta área deve-se ao facto deste acreditar que na área do Sotavento, as ilhas de Fogo e Brava são às que “movimentam maior quantidade de mercadorias”.

A embarcação que dura numa viagem directa Praia – Brava cerca de oito horas e Praia – Fogo sete, pretende efectuar este percurso regularmente de dez em dez dias, tendo a capacidade de transportar 160 toneladas e cerca de duzentas cubicagens.

O Baltimore, de acordo com o capitão, tem uma tribulação constituída por sete marinheiros, incluindo o comandante, mais três funcionários na sua agência, a Avalon CV e também condições para transportar cerca de 20 toneladas de carga congelada e 120 toneladas de carga fresca.

Este navio já opera nas linhas de São Vicente, Santo Antão, Sal, Boa Vista, Praia, Fogo e Brava.

Inforpress/fim