IEFP lança Programa de Estágios Profissionais Empresariais e plataforma para sua gestão

Cidade da Praia, 06 Abr (Inforpress) – O Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) lançou hoje o Programa de Estágios Profissionais Empresariais (PEPE), cujo objectivo principal é facilitar a inserção das pessoas formadas no mundo de trabalho.

Segundo o presidente do conselho de administração do IEFP, Paulo Santos, esse programa faz parte de um conjunto de medidas e políticas activas de emprego que o Governo está a implementar para fazer face às dificuldades no acesso ao mercado de trabalho, sobretudo por parte de jovens.

O programa, salientou o responsável, trouxe algumas atribuições para as entidades promotoras que são as empresas e deveres e obrigações dos estagiários.

O mesmo vai ser gerido através de uma plataforma online que também foi apresentada publicamente hoje, por forma a garantir uma melhor intermediação entre o programa e o seu público-alvo.

“A plataforma irá permitir aos jovens cabo-verdianos e as entidades empregadoras fazerem a procura e oferta de estágios profissionais e de emprego. Quer isto dizer que qualquer jovem em qualquer zona do país pode aceder ao programa, candidatar-se aos estágios via essa plataforma, basta ter acesso à internet”, explicou.

Ao contrário do programa anteriormente existente, nesse programa os subsídios aos estagiários serão suportados pelas empresas. Por isso traz um conjunto de incentivos fiscais às empresas em sede do código de benefícios fiscais e também previstos já no orçamento de Estado para 2018.

“É um novo modelo que estamos a lançar e com isso pretendemos incentivar as empresas a contratarem os estagiários. Os custos serão deduzidos na própria colecta. Os códigos dos benefícios fiscais já trazem no seu artigo nº 30 a majoração de 150% dos encargos com os estagiários”, explicou.

Paulo Santos adiantou que o IEFP vai trabalhar agora na sensibilização das empresas, mostrando as vantagens que poderão obter com a contração ou recepção dos estagiários.

O PEPE é destinado a jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 35 anos, à procura do primeiro ou novo emprego caso nunca tenha exercício uma profissão na sua área de formação.

Os beneficiários devem ser habilitados com curso superior ou com certificado de curso de formação profissional com duração mínima de 200 horas e ministrada por uma entidade certificada pelo o IEFP.

Os estágios não devem ser inferiores a seis meses e nem superiores a 12 meses.  O subsídio será d e 20 mil escudos para os beneficiários com formação superior ou médio e 15 mil escudos os jovens com formação profissional.

MJB/ZS

Inforpress/fim