Governo reafirma “total disponibilidade” para combater violência sexual contra crianças e adolescentes

Cidade da Praia, 11 Jan (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, prometeu hoje “total disponibilidade” do Governo para mobilizar recursos humanos e financeiros, em prol do combate à violência sexual contra crianças e adolescentes.

O compromisso foi assumido na abertura da formação destinada aos profissionais de comunicação social em matéria de prevenção e combate à violência sexual, promovida pelo Instituto Cabo-verdiano de Crianças e do Adolescente (ICCA), na Cidade da Praia.

“Abraçamos esta causa e viemos reafirmar, mais uma vez, a total disponibilidade do Governo, não só nas áreas sociais, mas também nas que tutelam os sectores de investigação da polícia e da justiça para mobilizar todos os instrumentos internacionais e nacionais em prol desta causa”, sublinhou o ministro.

Quanto aos objectivos dessa formação, Abraão Vicente referiu que visa capacitar os profissionais da comunicação social de conteúdos técnicos em matéria de investigação jornalística para reforçar o seu papel no âmbito da prevenção de combate a violência sexual contra crianças e adolescentes.

“É uma causa que este Governo e os anteriores abraçaram e tem sido um trabalho recorrente ao longo dos anos e, por isso, devemos prestar tributo a todas as organizações, nomeadamente o ICCA e o Unicef, pelo trabalho desenvolvido”, notou.

Acrescentou ainda que o sentido dessa acção formativa é enquadrar o trabalho dos jornalistas como parte de um quadro maior de pedagogia na sociedade, para que crimes do género não passem impunemente, mas também que a sua denuncia seja feita dentro de um quadro legal e que respeite a ética deontológica da profissão.

Por sua vez, a representante adjunta do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) em Cabo Verde, Ilaria Carnevalli, disse que a formação vai contribuir para o enriquecimento dos esforços nacionais para a eliminação do abuso sexual contra crianças e adolescentes.

A responsável salientou a pertinência dessa formação apontando que se trata de uma “epidemia global”, uma vez segundo dados internacionais, em todo mundo cerca de 15 milhões de meninas e adolescentes, de 15 a 19 anos, sofreram sexo à força ao longo da vida, sendo que nove milhões foram vítimas no ano passado.

A presidente do ICCA, Maria José Alfama, na sua intervenção, lembrou que essa formação se enquadra no Plano de Acção Nacional de Prevenção e Combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes para o período 2017-2019.

E dentro deste quadro, considerou que a formação destinada aos jornalistas constitui uma das linhas definidas para fomentar o desenvolvimento de acções conjuntas neste âmbito, com novas abordagens e para o reforço das capacidades dos profissionais.

A formação, que se realiza em parceria com o Unicef, visa reforçar as capacidades dos profissionais da comunicação social nesta matéria, num país onde a tendência, segundo relatos das organizações nacionais, tem sido de aumento de casos de abuso e violência sexual.

OM/CP

Inforpress/Fim