Governo quer implementar o ensino técnico a partir do 8º ano de escolaridade no ano lectivo 2018/2019

Cidade da Praia, 29 Mar (Inforpress) – O Ministério da Educação está a trabalhar na redefinição do funcionamento e das ofertas formativas do ensino técnico para que, já no ano lectivo 2018/2019, a opção desta via possa ser a partir do 8º ano de escolaridade.

A garantia foi dada pela directora nacional de Educação, Adriana Mendonça, durante a sua intervenção na abertura do 1º encontro nacional dos professores e orientadores das escolas secundárias do país, que ira decorrer de 29 a 31 deste mês, na Cidade da Praia.

Para esta responsável, um dos desafios a nível da educação é fazer com que o ensino técnico possa ser uma opção logo a partir do 8º ano de escolaridade, mas sublinhou que será necessário consolidar toda a organização relacionada com esta mudança, ou seja trabalhar a orientação educativa apoiada à orientação vocacional.

“Isso significa que temos um papel acrescido a nível de orientação, ou seja, trabalhar para que quando os alunos terminem o 7º ano de escolaridade tenham todas as informações necessárias, sobre as ofertas formativas, opções e vantagens do ensino técnico”, acrescentou frisando que a ideia é que os estudantes tenham a noção clara de qual será o caminho que devem seguir.

Para implementação desta medida, assegurou que o ministério está a trabalhar no desenho da nova matriz curricular, na redefinição do funcionamento e das ofertas formativas a nível do ensino técnico, já que os dados indicam que é uma das áreas de educação onde tem havido “um decréscimo considerável” a nível dos efectivos.

“Neste momento estamos a fazer o desenho da matriz curricular com as prioridades estipuladas pelo Governo que tem que ver com a introdução de novas disciplinas em simultâneo com o projecto do diagnóstico que está a ser elaborado”, apontou a directora, realçando que o estudo vai fazer com que tenham uma noção dos desafios e das necessidades em relação a esta questão.

Adriana Mendonça assegurou que a ideia é que até Dezembro deste ano o processo esteja traçado e definido para que possam discutir com o Ministério da Economia e Emprego sobre quais serão as novas opções para o ensino técnico de modo a ser implementado a partir do ano lectivo 2018/2019.

Na ocasião avançou que o encontro de três dias reúne professores orientadores de todas as escolas secundárias do país para debaterem e definirem estratégias, propostas e modelos de funcionamento dos gabinetes de orientação educativa, profissional e vocacional.

Durante o certame, os professores serão ainda capacitados em matéria de orientação escolar vocacional e profissional de modo a facilitar a troca de experiências, de boas práticas e reforçar as competências dos docentes orientadores em matéria da utilização do portal de orientação vocacional.

AV/ZS

Inforpress/Fim