Governo está a introduzir mudanças estruturais no sector da energia em Cabo Verde – ministro

Cidade da Praia, 16 Mar (Inforpress) – O governo está a introduzir mudanças estruturais, no domínio do plano, do quadro institucional e da cadeia de produção, transporte e distribuição de energia no país, disse hoje, na Praia, o ministro da Indústria, Comércio e Energia.

Alexandre Monteiro, que falava na cerimónia de abertura do encontro do Comité de Pilotagem (COPIL) do novo Programa de Apoio ao Sector de Energias Renováveis (PASER), salientou que o plano director do sector eléctrico, em fase de conclusão, que irá contribuir para acelerar a integração renovável na matriz energética no país, é uma das mudanças.

A reestruturação do sector eléctrico, outra medida estruturante em curso, segundo o ministro, vai permitir a incrementação da participação do sector privado no domínio energético e proporcionar uma gestão global e mais eficiente na área da energia, sublinhou o ministro.

Relativamente á cadeia de produção, transporte e distribuição de energia, Alexandre Monteiro, disse que o governo vai implementar algumas medidas que irão contribuir para o incremento das energias renováveis no país.

No domínio da produção de energia com a grande dependência que os países insulares têm em termos de produção térmica, o Alexandre Monteiro informou que o Governo pretende inverter essa tendência em Cabo Verde.

“É um grande desafio e temos de inverter essa dependência térmica com os investimentos que estão sendo feitos na produção térmica orientadas para contribuir para maior penetração das energias renováveis”, sublinhou.

Como exemplo, o ministro citou o investimento já em curso para construção de nova central eléctrica da Palmeira, na ilha do Sal, dimensionada com grupos de nova geração com menor consumo e projectada para proporcionar condições de maior penetração das energias renováveis.

No domínio da produção térmica, o executivo vai apostar na mudança de combustíveis (gasóleo para 180 e o fuel para 380) que terá “um impacto significativo” nos custos operacionais, sublinhou Alexandre Monteiro.

O Governo vai também fazer “uma forte aposta” nas energias renováveis a nível de microgeração e de investimentos privados em grande escala, confirmou Alexandre monteiro, dando como exemplo o projecto de instalação de mais 10 megawatt solar na ilha de Santiago, que já conta com quatro concorrentes.

Está prevista também, através de um investimento privado na área de energia renovável, a implementação de um projecto de um megawatt solar na ilha do Sal, ainda este ano.

São entre outras acções que, segundo o ministro, vão contribuir para que Cabo Verde tenha condições mais favoráveis ao incremento das energias renováveis no país.

No domínio de transporte e distribuição de energia, Alexandre Monteiro referiu sobre a importância de um outro projecto que está a ser desenvolvido e que proporcionará “uma gestão mais eficiente” deste sistema, melhorar a qualidade de serviço e criar as condições para penetração das energias renováveis.

Em relação a outras medidas estruturantes no domínio da energia, o ministro falou também da política tarifária e da regulamentação da tarifa social em curso, segundo Alexandre Monteiro, uma “medida importante” para as famílias de menor rendimento terem acesso à energia.

O estudo que está a ser desenvolvido com vista a criação de uma nova estruturara tarifária, com “foco muito especial” na introdução do sistema bi-horário que irá permitir a criação de condições em termos de tarifa que servirá melhor as empresas e as actividades económicas no país, é uma outra medida apontada.

O programa de eficiência energética em edifícios as perdas de energia são outros desafios do governo, visando a sustentabilidade do sector energético em Cabo Verde.

A instalação de contadores inteligentes, a substituição de contadores parados, a massificação de contadores pré-pago, são um conjunto de acções ainda que estão em curso visando contribuir para mudar o quadro actual do sector energético no país, frisou o ministro, na ocasião.

JL/CP

Inforpress/Fim