Governo e oposição lamentam morte de Kofi Annan

Cidade da Praia, 18 Ago (Inforpress) – O Governo e o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição)  lamentam a morte do antigo Secretário-Geral das Nações Unidas Kofi Annan, ocorrida esta madurada, na Suíça.

Em declarações à RCV, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, disse que o mundo perdeu “um grande humanista, um visionário promotor da paz e defensor dos princípios e valores consagrados” na Carta das Nações Unidas.

Para o governante, Kofi Annan foi um homem que tudo fez para tornar o mundo num lugar melhor.

“Cabo Verde recordará para sempre o papel deste africano em prol de grandes causas mundiais como a prevenção e luta contra alterações climáticas e a necessidade de se dar, por causa disso, particular atenção aos pequenos estados insulares em desenvolvimento,” destacou Luís Filipe Tavares, que falava da Suíça onde deve efectuar um encontro com a comunidade cabo-verdiana.

O PAICV, maior partido da oposição, por seu lado, referiu que Kofi Anann revelou-se um “diplomata distinto e internacionalista convicto”, tendo liderado “missões de paz complexas” no continente africano e nos Balcãs, para mais tarde, com a sua liderança à frente da ONU, desempenhar “um papel preponderante” no processo que conduziu à afirmação da independência de Timor-Leste.

“Homem de bem, à frente das Nações Unidas foi um grande defensor da paz e persistente impulsionador do desenvolvimento sustentável e dos direitos humanos”, lê-se na nota enviada pela presidente do partido, Janira Hopffer Almada.

Segundo o PAICV, a África perde um dos seus “notáveis filhos” cujo contributo para a dimensão universal do desenvolvimento dos povos “é, por todos, reverenciado.”

No mesmo documento, o partido lembrou que “as relevantes qualidades de humanista e de elevada estatura como estadista” foram-lhe reconhecidas com a atribuição do Prémio Nobel da Paz em 2001.

O Governo e a oposição aproveitaram também para endereçar condolências à família enlutada de Kofi Annan, à África e às Nações Unidas.

O antigo secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e prémio Nobel da Paz de 2001, Kofi Annan, morreu aos 80 anos, divulgou hoje a fundação do antigo diplomata.

“É com grande tristeza que a família Annan e a Fundação Kofi Annan anunciam que o ex-secretário-geral das Nações Unidas e vencedor do prémio Nobel da Paz morreu pacificamente no sábado, 18 de Agosto, após uma curta doença”, publicou a fundação do ex-diplomata ganês num comunicado, divulgado pela agência de notícias AFP.

Kofi Annan, que fez a sua carreira profissional nas Nações Unidas, cumpriu dois mandatos como secretário-geral da ONU, entre 01 de Janeiro de 1997 a 31 de dezembro de 2006.

Kofi Anann era natural do Gana e foi primeiro africano a assumir o cargo de Secretário-Geral das Nações Unidas.

CD/AA

Inforpress/Fim