Governo de Cabo Verde ambiciona duplicação do rendimento “per capita” nos próximos dez anos

 

Cidade da Praia, 02 Jun (Inforpress) – O Governo de Cabo Verde vai trabalhar para duplicar o rendimento “per capita” nos próximos dez anos, disse hoje o ministro das Finanças, Olavo Correia, considerando para tal “importante” o engajamento de todos os parceiros nacionais e internacionais.

O governante falava durante a abertura do workshop nacional de análise e definição das vantagens comparativas das Nações Unidas e a priorização estratégica para o próximo quadro de cooperação entre o Governo de Cabo Verde e as Nações Unidas em Cabo Verde (UNDAF 2018-2022).

Olavo Correia sublinhou que é “importante” ter uma visão estratégica do futuro do país, que seja partilhada não só internamente, mas com todos os parceiros tendo as Nações Unidas à cabeça.

“Nós pensamos que o que é essencial hoje é trabalhar para que daqui a dez anos possamos duplicar o rendimento para as famílias, para os jovens e para todos aqueles que vivem e investem em Cabo Verde”, disse indicando que Cabo Verde tem condições para lá chegar.

Entretanto, salientou que para alcançar esse objectivo diversas medidas e acções devem ser levadas no sentido de optimizar essas condições.

Reformar a Administração Pública, melhorar o ambiente de negócios, qualificar o sistema de ensino desde o pré-escolar até ao ensino universitário e formação profissional, tornar o sistema de justiça mais eficiente, melhorar a segurança e criar um quadro favorável à atracção dos investimentos directo estrangeiro são para já questões “importantes e urgentes”.

“Com tudo isto estaremos em condições de, aproveitando as oportunidades que existem à escala nacional e internacional, crescer a 7% ao ano, permitindo a duplicação de rendimentos para as famílias nos próximos 10 anos”, sustentou.

“Este é um objectivo maior que tem de ser liderado pelo Governo, mas tem de contar com o concurso e colaboração de todos. Sector privado, sociedade civil, indivíduos famílias para que possamos afrontá-lo e vencê-lo”, acrescentou o ministro.

Nesse desiderato, considerou que as Nações Unidas são um parceiro estratégico “importante”, já que, conforme frisou, tem ajudado o país em todo o processo de planeamento, da reforma de administração pública e nas questões sociais.

Apesar do próximo quadro de cooperação entre as Nações Unidas e o Governo de Cabo Verde (UNDAF -2018-2022) estar em processo de preparação, Olavo Correia garantiu que a prioridade do Governo está no aumento do PIB “per capita” em Cabo Verde que actualmente é de pouco mais de três mil dólares (3.131,13 USD -2015).

“Tudo que iremos fazer: investimentos nas infraestruturas tais como portos, aeroportos, estradas, escolas e etc… tem que ter como foco essencial aumentar e duplicar o rendimento “per capita” nos dez anos, melhorar a qualidade de vida e felicidades dos cabo-verdianos”, disse.

O actual quadro de cooperação entre o Governo de Cabo Verde e as Nações Unidas em Cabo Verde está em implementação desde Junho de 2012 e terminará a 31 de Dezembro de 2017.

O novo irá cobrir o período de 2018 a 2022 e deve ir ao encontro das prioridades e desafios nacionais no novo contexto de desenvolvimento nacional e da agenda de desenvolvimento sustentável 2030.

O documento deve estar pronto em meados de Julho para ser assinado ainda no decurso deste ano.

MJB/ZS

Inforpress/Fim