Inicio Economia Governo avança com criação do Instituto do Turismo para colocar o sector...

Governo avança com criação do Instituto do Turismo para colocar o sector no lugar que merece – ministro

Porto Novo, 24 Fev (Inforpress) – O ministro da Economia anunciou hoje, em Santo Antão, que o Governo vai avançar, ainda este ano, com a criação do Instituto do Turismo, que será “uma referência para dinamizar e colocar o sector no lugar que merece”.
A ideia do Governo é criar um Instituto do Turismo que se ocupará, também, da inspecção-geral dos jogos, explicou José Gonçalves, que falava, esta sexta-feira, no Porto Novo, na abertura da mesa redonda sobre o turismo rural e de natureza, evento de âmbito nacional, promovido pelo Ministério da Economia e Emprego (MEE).
“Estamos, neste momento, a trabalhar na criação do Instituto do Turismo, que será um ponto referencial na dinamização do turismo e sua formatação no seu verdadeiro lugar que merece”, notou o governante que admitiu que, até ao terceiro trimestre deste ano, por ocasião das comemorações do Dia Mundial do Turismo (27 de Setembro), o Governo já terá criado todas as condições para “um verdadeiro desenvolvimento do turismo”, que se quer para Cabo Verde.
Segundo José Gonçalves, 2017 é “o ano estruturante” para o turismo em Cabo Verde, dado o seu peso na economia nacional e da necessidade de se ter o plano estratégico para o turismo sustentável para o país, no horizonte 2030.
Além da criação do Instituto do Turismo, o Governo vai avançar, igualmente, com outras medidas concretas para o desenvolvimento do turismo rural e de natureza, de entre as quais se destacam a aprovação de uma legislação virada para os pequenos operadores, que atribui utilidade pública a pequenas unidades e privilegie ainda aspectos relativos a benefícios e incentivos aos empresários.
O exemplo de Santo Antão, no que tange à promoção do turismo de natureza, dever ser seguido pelas outras ilhas com potencial nessa modalidade de turismo, segundo José Gonçalves, para quem é “incontornável” o papel que esta ilha desempenha, “cada vez mais”, na promoção do turismo rural e de natureza.
O ministro defendeu, por isso, a necessidade de Cabo Verde “acarinhar” essa modalidade do turismo, por seu sustentável.
“O turismo de massa não está no caminho de sustentabilidade, já que está sujeito a choques externos, ao contrário do turismo rural e de natureza, variedade que deve ser acarinhado em Cabo Verde”, explicou José Gonçalves.
O titular da pasta de economia anunciou ainda a candidatura de Cabo Verde a membro do conselho consultado da Organização Mundial do Turismo (OMT), nas eleições de Setembro deste ano.
Disse que Cabo Verde tem sido incentivado pela própria OMT a apresentar sua candidatura, o que vai acontecer já na próxima semana, morando-se convicto que o país tem todas as condições para conseguir tal desiderato.
A mesa redonda sobre o turismo rural e de natureza, com duração de dois dias, reúne, no Porto Novo, operadores, investidores e autarcas de 20 municípios de Cabo Verde para uma reflexão sobre esse segmento do turismo.
Infra-estruturas, planeamento, requalificação urbana, a segurança, a energia, água e saneamento e formação são algumas das áreas que estão em debate neste fórum.
JM/CP
Inforpress/Fim