Governante portuguesa defende consolidação dos ganhos no sistema educativo e de segurança social

Cidade da Praia, 19 Jan (Inforpress) – A Secretária de Estado Adjunta do primeiro-ministro de Portugal defendeu hoje, na Praia, que Cabo Verde deve focar nos ganhos alcançados até agora no sistema educativo e de segurança social e encontrar soluções para a sua consolidação.

Mariana Vieira da Silva fez essa afirmação em declarações à Inforpress antes de proferir uma conferência sobre “O Estado, o sector privado e a justiça social numa sociedade pluralista”, promovida pela Governo, no âmbito das celebrações do Dia da Liberdade, que se assinalou no dia 13 de Janeiro, data das primeiras eleições multipartidárias em Cabo Verde, em 1991.

“Cabo Verde deve realçar o caminho que fez durante esses anos, por exemplo no sistema educativo e no sistema de segurança social e procurar melhorar, porque isso é o desafio de todos os países, ou seja, não estar à espera de haver uma solução perfeita e mágica, visto que não é assim que as coisas acontecem e o caminho que Cabo Verde já fez deve ser realçado e estudado para complementar e ir corrigindo as falhas”, defendeu.

Segundo a governante portuguesa que está em Cabo Verde para uma visita de três dias, visando a preparação da deslocação do primeiro-ministro português, António Costa, ao arquipélago, em Fevereiro, a conferência vai servir para enquadrar o debate que tem sido feito internacionalmente sobre a questão da sustentabilidade e nos problemas que as reformas levantam.

Conforme ela, o propósito é realçar que normalmente não há uma “forma mágica” que resolva os problemas, mas que é preciso trabalhar, progressivamente, e de uma forma coordenada com toda a sociedade, a academia, entre os parceiros sociais e os profissionais, e encontrar as melhores soluções para os problemas específicos de cada país.

“Temos que afastar aquela ideia de que temos uma solução única e imediata, de que se copiarmos o modelo de um determinado país poderemos resolver os nossos problemas, mas não é assim que funciona”, explicou, considerando que Cabo Verde e Portugal têm alguns pontos comuns, como seja o facto de terem desenvolvido os seus sistemas sociais numa fase mais tardia face a outros países.

A conferência “O Estado, o sector privado e a justiça social numa sociedade pluralista” foi organizada em parceria com a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), a Universidade Jean Piaget de Cabo Verde (Uni-Piaget) e o Instituto Superior de Ciências Jurídicas e Sociais (ISCJS).

O evento, moderado pela professora Irene Cruz, contou com a presença do primeiro-ministro, José Ulisses Correia e Silva, do ministro da Cultura, Abraão Vicente, do Ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, entre os convidados.

DR/JMV

Inforpress/Fim