Fundação Jair Ribeiro, do antigo internacional cabo-verdiano, doa materiais desportivos e escolares na capital

 

Cidade da Praia, 17 Jun (Inforpress) – A Fundação Jair Ribeiro, do ex-futebolista internacional cabo-verdiano, actualmete a residir nos Estados Unidos, procedeu hoje a doação de um lote de equipamentos desportivos a Escola de Futebol Cstelão, e materiais escolares, no campo de Castelão, Praia.

O donativo consiste num lote de materiais como bolas, botas, mochilas de entre outros equipamentos, direccionados aos alunos e jovens desportivas das localidades limítrofes dos bairros do Paiol, Castelão, Coqueiro e Achada Mato.

Outrora médio campista de referência no futebol cabo-verdiano, Jair avançou a Inforpress ter criado esta fundação ano passado para apoiar a prática de futebol em Cabo Verde, mediante materiais desportivos recolhidos nos Estados Unidos, através de eventos organizados para o efeito.

Trata-se de uma forma que Jair Ribeiro encontrou para, através desta instituição, dar o seu contributo aos mais jovens em Cabo Verde, alegando que a fundação já goza de muita aceitação nos Estados Unidos e que se sente satisfeito pela dinâmica imprimida neste espaço de tempo.

O futebolista, que em 2000 ajudou Cabo Verde a vencer a Taça Cabral, único título internacional conquistado pela selecção A, Jair Ribeiro afirmou que pretende divulgar a fundação na sociedade cabo-verdiana com doações às escolas de futebol como forma de colmatar as dificuldades por que passam os jovens atletas.

Oriundo de uma família tradicionalmente desportista, particularmente o futebol (sobrinho dos antigos internacionais Raulinho, Candinho e Bala), Jair Ribeiro disse que o futebol afigura-se como um das melhores formas de contribuir para o desenvolvimento das crianças na formação do homem do amanhã.

Isto por entender que, apostando no futebol, as crianças não só estão a apostar na sua formação pessoal futuramente, ao mesmo tempo que contribui para que os futebolistas ajudem as suas famílias numa vida melhor, enquanto uma forma de eliminar a pobreza.

O monitor da Escola de Futebol Castelão, Ariano Tavares, descreve este donativo como “um grande apoio e uma iniciativa de se louvar” alegando que estes materiais chegaram no momento certo, já que no período das férias aumenta a procura dos jovens atletas.

Disse que trabalha, actualmete, com 102 crianças de faixa etária dos seis aos 17 anos, de diversos bairros da capital, e que é uma forma que encontrou para partilhar os seus conhecimentos com a nova geração, consciente que praticando o futebol está-se a formar o Homem.

SR/CP

Inforpress/Fim