Fogo: Professor de escola secundária alvo de processo disciplinar por alegado envolvimento com aluna

São Filipe, 25 Mar (Inforpress) – Um professor da Escola Secundária Dr. Teixeira de Sousa, em São Filipe, está sendo alvo de um processo disciplinar por alegado “envolvimento amoroso” com uma aluna menor da referida escola.

Depois de receber uma denúncia de pessoas próximas da menor, no início de Fevereiro, a direcção da escola mandou abrir um inquérito interno para averiguar a veracidade dos factos.

Na sequencia decidiu avançar com um processo disciplinar, tendo o Ministério da Educação enviado à ilha um inspector para ouvir o professor, a aluna menor e outras pessoas arroladas no caso, denunciante, professores e alunos.

Segundo uma fonte da Escola Secundária Dr. Teixeira de Sousa, o professor, além do “envolvimento amoroso” com a aluna menor de idade, terá facultado a esta o enunciado de um trabalho prático e a respectiva grelha de correcção, facto que levantou alguma suspeição.

Ouvidos pelo conselho de disciplina da escola, ficou provado, segundo a fonte, que a aluna costuma frequentar a casa do professor, factor que o próprio professor admitiu, e ficou também provado que a aluna levou o trabalho prático da casa do mesmo professor, em circunstância que carece de esclarecimento.

Contactada pela Inforpress, a direcção da escola apenas adiantou que a situação está nas mãos da inspecção do ministério e, por isso, por hora prefere não avançar com mais informações.

O professor em causa, segundo o relatório do conselho de disciplina, violou os artigos 9º, 10º e 94º do regulamento interno da escola, o artigo 12º do estatuto do aluno dos estabelecimentos públicos do ensino secundário e o artigo 6º do estatuto da carreira do pessoa docente, nomeadamente dos deveres profissionais.

Este último artigo estabelece no ponto 2 aliena b) “colaborar com todos os intervenientes da comunidade educativa, favorecendo a criação e o desenvolvimento de relações de respeito mútuo, em especial entre docentes, alunos, encarregados de educação e pessoal não docente”.

A denúncia pública do suposto envolvimento do professor num “caso amoroso” com uma aluna menor foi registada na direcção da escola no dia 04 de Fevereiro e no mesmo dia a direcção autorizou a abertura de um inquérito interno para averiguar e apurar os factos.

JR/AA

Inforpress/Fim