Fogo: MpD pede uma atitude positiva do PAICV face aos projectos apresentados pelo Governo

Cidade da Praia, 29 Jun (Inforpress) – Os membros da Comissão Política do MpD da região do Fogo pediram hoje uma “atitude positiva” do PAICV face aos projectos do Governo que são apresentados e implementados na ilha.

Em conferência de imprensa hoje, na Cidade da Praia, onde fez o balanço da recente visita do primeiro-ministro à ilha, o deputado e membro da Comissão Política, Luís Alves, declarou-se “estupefacto” com a reação do PAICV no Fogo que, segundo disse, de forma “irresponsável” ataca sistematicamente o primeiro-ministro ou outros membros do Governo que se deslocam à ilha.

“Cada vez que um membro do Governo visita a ilha, anunciado um novo projecto ou centralizando uma nova obra, aparece o PAICV nas redes e comunicação sociais desprezando e querendo manchar, só por manchar, irresponsavelmente o bom trabalho deste governo”, lamentou.

Falando do programa de emergência e mitigação dos efeitos de mau ano agrícola, que segundo adiantou tem sido utilizado pelo partido da oposição para atacar o Governo, disse que o mesmo está sendo um sucesso, tanto a nível do salvamento do gado como a nível da gestão de água e da criação de empregos.

“São mais de dois mil postos de trabalho criados, permitindo às famílias, boa parte delas chefiadas por mulheres, terem ao seu dispor uma fonte de rendimento, controladas exclusivamente por elas, sem qualquer controlo político no acesso, contrariando a lógica bem conhecida sempre praticada pelo PAICV, quando no poder na ilha”, salientou.

Luís Alves lembrou ainda que a ilha do Fogo está em obras, com edificação de infra-estruturas estruturantes para o desenvolvimento da ilha e precisou que globalmente 518 mil contos vão   ser afetados à infraestruturação de Chã das Caldeiras, no horizonte 2018 a 2020, sendo certo que os investimentos nas três cidades da ilha oscilarão a um milhão de contos.

“Isto para o PAICV não são investimentos no Fogo e no seu desenvolvimento… Caso para dizer: uma atitude positiva da oposição precisa-se com urgência”, realçou.

MJB/FP

Inforpress/fim