Finalistas dos anos 1992/93 lançam desafio “adopte uma sala do Liceu Ludgero Lima”

Cidade da Praia, 03 Ago (Inforpress) – Os finalistas dos anos 1992/93 lançaram o desafio “adopte uma sala” para ajudar a reabilitar Liceu Ludgero Lima em São Vicente, uma instituição que há cinquenta anos tem contribuído para a formação de várias gerações de cabo-verdianos.

Esta ideia partiu de uma das promotoras desta iniciativa, a ex-aluna Vera Figueiredo junto com colegas finalistas dos anos 1992/93.

Segundo Vera Figueiredo, há cinco anos decidiram se reencontrarem para celebrar o 20º aniversário da imposição das fitas.

De reencontro , explicou, surgiu a necessidade de fazer algo para chamar atenção para o estado de conservação do edifício do Liceu Ludgero Lima que apresenta “um notável desgaste” na sua estrutura física bem como das carteiras e casas de banho.

O grupo, acrescentou a ex-aluna, conseguiu um patrocínio para informatização da secretaria, aquisição de uma máquina fotocopiadora e um scanner para o liceu.

Desde então, tem trabalhado para apoiar na renovação dos mobiliários e salas de aula. Uma intervenção que surtiu efeito, já que , segundo a mesma, meses depois, toda a carpintaria das janelas foram trocadas de madeira para alumínio.

Agora a ideia, prossegue Vera Figueiredo, é fazer uma intervenção mais notável, principalmente nas salas de aula que ainda possuem as mesmas carteiras da altura da inauguração do edifício em 1967.

“Este ano de 2018, ano em que o grupo de finalistas do ano 92-93 completou 25 Anos, conseguimos apoio para pintar cinco salas de aula. Temos orçamentos para pintura, substituição das partes eléctricas (tomadas e lâmpadas) e mobiliário”, explicou

Mas Vera Figueiredo reafirma que este desafio não abrange apenas os finalistas da sua época. É extensiva aos finalistas das décadas de 70, 80 e 90 ou outros ex-estudantes que no passado receberam “muito da escola e que agora estão em condições de retribuir.”

“Se cada grupo e finalistas adoptassem uma sala, ou procurassem recursos e financiamentos para pintar e renovar o mobiliário seria muito bom. As carteiras estão lá há muito tempo e vale a pena serem restauradas porque são feitas de madeira maciça que é resistente,” defendeu Vera Figueiredo.

Depois do restauro, sugere a ex-aluna, as carteiras antigas ,por serem mais pequenas, serão colocadas nas salas para os estudantes do 7 º ano e as que são utilizadas actualmente nas salas dos alunos do 9 º ao 12º ano.

Entretanto, no mês de Julho, a ministra da Educação, Maritza Rosabal, anunciou que um programa de reabilitação das escolas secundárias de São Vicente, previsto para arrancar neste mês de Agosto no Liceu Ludgero Lima.

Os trabalhos, enfatizou a governante, vão privilegiar “melhorias nos espaços exteriores, sobretudo nas áreas que perigam a vida das pessoas” que laboram naquele estabelecimento de ensino.

CD/JMV

Inforpress/Fim