Festival de Cinema a União Europeia em Cabo Verde abre com o clássico “O Testamento do Sr. Napumoceno”

 

Cidade da Praia, 06 Jul (Inforpress) – O filme “O Testamento do Sr. Napumoceno”, inspirado na obra do escritor Germano Almeida, do realizador português Francisco Manso, inaugurou hoje o Festival de Cinema Europeu que decorre até domingo, 10, no Palácio da Cultura Ildo Lobo.

Em declarações à imprensa no acto da abertura oficial do certame, o embaixador da União Europeia (UE), José Manuel Pinto Teixeira, considerou de “muito significativa” a escolha do filme do realizador português, que também esteve recentemente em Cabo Verde para fazer um outro filme da obra do mesmo autor, “Dois Irmãos”.

Segundo o diplomata, o evento, realizado pela Delegação da UE em Cabo Verde no âmbito nas celebrações dos 10 anos da Parceria Especial UE/Cabo Verde, assim como dos 25 anos da Cooperação UE/ PALOP –Timor Leste, comporta a exibição de 11 filmes de vários países membros da UE e dos PALOP, como Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau e Moçambique.

Segundo lembrou o embaixador José Manuel Pinto Teixeira, os quatro filmes dos PALOP que serão projectados de hoje a domingo, 10, das 19:00 às 21:00, no Palácio da Cultura Ildo Lobo, na Cidade da Praia, são películas realizadas com o apoio financeiro da UE através do Programa ACP-Cultura.

Disse ainda que com este festival pretende-se dar a oportunidade ao público cabo-verdiano de conhecer filmes dos Países Africanos da Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e também demonstrar esse papel da UE de patrocinar e financiar filmes desses países.

Lembrou ainda que, no âmbito destes 25 anos de Cooperação UE/PALOP, foi lançado um concurso para a escolha de um realizador em cada país para uma curta-metragem.

De Cabo Verde a seleccionada foi Samira Vera-Cruz, que já se encontra a realizar o seu filme intitulado “Ora d´bai”.

A propósito, o embaixador da União Europeia avançou que no segundo semestre do corrente ano será realizado um festival para a apresentação das seis curtas-metragens dos seis realizadores dos seis países do PALOP e Timor Leste.

Por seu turno o ministro da Cultura e das Industrias Criativas, Abraão Vicente, afirmou que o Festival do Cinema Europeu é uma “confirmação” de uma relação “muito estreita” entre Cabo Verde e a UE, agora através da cultura.

O festival, ajuntou o governante, vem na linha daquilo que é a estratégia do Governo de, para além do evento do tipo ser realizado na Cidade da Praia, também levá-lo às outras ilhas.

FM/AA

Inforpress/Fim