Feira de Educação oferece opções para cabo-verdianos que queiram estudar nos Estados Unidos

Cidade da Praia, 11 Jun (Inforpress) – Mais de 40 universidades e programas de educação dos Estados Unidos da América vão estar presentes na Feira “Education USA 2018”, que acontece quinta-feira, 14, no Liceu Domingos Ramos, na Cidade da Praia.

O evento é organizado pela Embaixada dos Estados Unidos em Cabo Verde e surge como uma oportunidade para estudantes cabo-verdianos que queiram frequentar instituições de ensino naquele país, disse à Inforpress a orientadora da “Education USA”, Suely Ramos Neves.

“Eles podem conhecer várias instituições ao mesmo tempo. Também podemos recolher o máximo de informações para fazer uma avaliação e saber se esses estudantes estão interessados e querem avançar com o processo de candidatura”, explicou a responsável, informando que uma feira semelhante aconteceu em Mindelo no último mês de Maio.

Os visitantes também vão ouvir testemunhos sobre experiências e vivências de alunos e ex-alunos que já estudaram nessas universidades norte-americanas.

Esta é a segunda vez que esta feira é realizada em Cabo Verde. A primeira, foi há dois anos e, segundo Suely Neves, teve um “impacto positivo”.

“Naquela altura tivemos visitas de cerca de 1500 pessoas, entre estudantes e pais encarregados de educação e outros profissionais. Houve estudantes que submeteram o processo de candidatura e acabaram por estudar nos Estados Unidos”, acrescentou.

Entretanto, segundo a orientadora da “Education USA, para estudar nos Estados Unidos o aluno deve seguir um procedimento intenso. O primeiro passo é pesquisar qual universidade entre as cinco mil existentes que se encaixa no perfil que o estudante quer. O segundo é identificar como financiar os estudos.

“Nos Estados Unidos há escolas que podem oferecer bolsas de mérito. Ou ainda bolsas baseadas no talento, neste caso se o estudante for um atleta, um artista ou um líder”, informou.

A terceira etapa é fazer a candidatura, tendo em atenção a data limite imposta pela universidade e a apresentação do teste “Toefl”, que avalia o nível de inglês do candidato. Depois, o aluno deverá avançar com o pedido de visto, anexando os documentos fornecidos pela universidade, acrescentou Suely Ramos.

Mas antes da viagem, sublinhou a orientadora da “Education USA”, a Embaixada oferece uma orientação pré-partida para fornecer informações aos seleccionados sobre o Estado em que se vai viver e sobre as suas responsabilidades e direitos, enquanto estudante internacional nos EUA.

Suely Ramos reconhece que este procedimento beneficia principalmente os estudantes que se encontram na ilha de Santiago, por estarem mais próximos da Embaixada, mas afirma que estão a trabalhar para estender esta orientação a estudantes das outras ilhas, após a entrega do pedido de visto ou com outras informações online.

CD/CP

Inforpress/Fim