Inicio Destaques FECAD pede criação de condições para que pessoas com deficiência saiam da...

FECAD pede criação de condições para que pessoas com deficiência saiam da vulnerabilidade

 

Cidade da Praia, 29 Ago (Inforpress) – A Federação Cabo-verdiana das Associações de Pessoas com Deficiência (FECAD) pediu hoje ao Governo mais recursos financeiros para a criação de condições de acessibilidade e mobilidade que garantam que as pessoas com deficiência em Cabo Verde saiam da vulnerabilidade.

O pedido foi feito ao ministro das Finanças, Olavo Correia, pelo presidente da FECAD, António Pedro Melo, durante uma audição para a recolha de subsídios , no âmbito da elaboração do Orçamento de Estado para 2018.

À saída do encontro, o representante das associações disse que apresentaram as suas experiências e o trabalho que têm feito para a inserção dessa camada social, tendo solicitado ao Governo uma “actuação firme” na área da deficiência.

António Pedro Melo lembrou que há em Cabo Verde uma legislação sobre acessibilidade e mobilidade que, entretanto, não é aplicada, o que acaba, no seu entender, por colocar vários entraves aos portadores da deficiência.

“As escolas estão ainda inacessíveis, os hospitais estão cheio de barreiras, não há professores que estejam capacitados em comunicar com pessoas que têm surdez ou cegueira e tudo isso é um entrave e nos coloca nos grupos dos vulneráveis. Nós precisamos sair dos grupos dos vulneráveis, mas para fazermos isso precisamos do Governo. Só o Governo pode implementar acções que nos dêem capacidade de desenvolver e sair da vulnerabilidade”, disse.

O presidente da FECAD falou também do Ensino Superior, sublinhando que, para além das barreiras físicas, há as barreiras financeiras que acabam por dizimar o sonho de várias pessoas de ter uma vida melhor.

O encontro foi também aproveitado para reclamar junto do Governo mais recursos financeiros para as associações, no sentido de suprir algumas dificuldades por que passam as associações neste momento.

“Nós sabemos que a economia cabo-verdiana tem enormes dificuldades, mas nós temos os nossos problemas e os trouxemos ao Governo e nada melhor que o ministro das Finanças para analisar essa situação e ver até onde nos pode ajudar”, augurou.

Da parte do Governo disse que ficou a promessa de analisar as situações apresentadas e ver até onde há possibilidade de ajudar.

Para já, adiantou que o executivo apresentou uma série de actividades que estão previstas para reduzir a vulnerabilidade , nomeadamente, a isenção de propinas para o ensino e a isenção das taxas moderadoras para a saúde.

O recurso às organizações internacionais foi uma das soluções aventadas para se ter mais recursos financeiros.

“A FECAD já faz isso. Neste momento, temos três projectos em fase de arranque , financiados pelas organizações internacionais, mas nós precisamos de apoio para chegar a bom porto com esses projectos”, disse.

MJB/JMV

Inforpress/fim