FAMSI disponibiliza 100 mil euros à ANMCV para implementação do Programa Plataforma no município de Santa Cruz

Cidade da Praia, 19 Jun (Inforpress) – Cem mil euros, aproximadamente 11 mil contos é o montante que o Fundo Andaluz dos Municípios para a Solidariedade Internacional (FAMSI) disponibilizou para a implementação do Programa Plataforma no município de Santa Cruz.

A revelação foi feita pelo presidente da Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde (ANMCV), Manuel de Pina, durante uma conferência de imprensa hoje, na Cidade da Praia, onde anunciou a visita a Cabo Verde de uma missão técnica do FAMS que vai estar na ilha de Santiago e Santo Antão.

“Esse primeiro acordo, orçado em 100 mil euros vai permitir o apoio na implementação do Programa Plataforma no concelho de Santa Cruz”, disse o presidente da ANMCV explicando que com esse acordo vão poder vai apoiar os Gabinetes Técnicos intermunicipais das ilhas de Santiago, Fogo, Brava e Santo Antão que já dispõem do Programa Plataforma.

Na ocasião, Manuel de Pina afirmou que esse apoio poderá ser ainda maior, uma vez que com a vinda de um técnico espanhol a Cabo Verde para apoiar os concelhos na implementação desse projecto, os municípios vão ter acesso às tecnologias desenvolvidas na região espanhola, “know how” e todo o conhecimento a nível deste sector.

O autarca adiantou que neste momento a ilha Brava, Ribeira Grande Santiago, Ribeira Grande de Santo Antão, Paul, Porto Novo, Mosteiros, Santa Catarina do Fogo, São Filipe e São Salvador do Mundo, são os municípios contemplados com este programa, mas sublinhou que a ideia é chegar ao total dos 22 concelhos do país.

Por seu turno, Francisca Santos que falava em representação do Governo, realçou a importância dessa parceria no reforço de capacidade da ANMCV, dos Gabinetes Técnicos intermunicipais e dos municípios em si, uma vez que vai criar condições para a promoção do desenvolvimento local.

Segundo a responsável, essas iniciativas vêm na sequência do IV Fórum Mundial de Desenvolvimento Economico Local (FMDEL), que decorreu em Outubro do ano passado em Cabo Verde, onde o Governo assumiu que um dos objectivos seria a mobilização de parcerias para o desenvolvimento local.

“Estamos a trabalhar com os municípios para a planificação estratégica participativa, atendendo que neste momento os nove concelhos já estão a elaborar os respectivos planos de desenvolvimento sustentável para fazer a localização dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), e posteriormente trabalhar as estratégias de desenvolvimento local”, acrescentou.

Por seu turno, o director do Fundo Andaluz dos Municípios para a Solidariedade Internacional, Emílio Rabasco, que reconheceu que os problemas são similares, sublinhou que a ideia é criar uma aliança que permita criar soluções comuns e buscar alternativas para os municípios cabo-verdianos.

“Este primeiro projecto, vai permitir o apoio nas actividades a nível do reforço das capacidades da ANMCV e, por outro lado, melhorar a capacidade técnica do Gabinete Técnico dos municípios”, citou o responsável.

O Programa de Plataformas para o Desenvolvimento Local e Objectivos de Desenvolvimento Sustentável em Cabo Verde, financiado pelo Grão-Ducado do Luxemburgo em dois milhões de euros, por um período de três anos (2017-2019) e com a parceria do Programa das Nações Unidas para a População (PNUD), visa o reforço das capacidades dos actores locais em matéria de articulação a vários níveis, a planificação estratégica e desenvolvimento económico local, contribuindo para a parceria global para a inovação em matéria de desenvolvimento territorial e de governação local.

AV/FP

Inforpress/Fim